NEWSLETTER

Inscreva-se em nossa newsletter.

NOTÍCIAS

Estudo conclui que vitamina D reduz risco do coronavírus

Dados preliminares em Turim indicam que os pacientes hospitalizados têm uma prevalência muito alta de hipovitaminose D
Coronavírus Sars-Covid-19
Há mais de 1.000 sequenciamentos genéticos do novo coronavírus já realizados/Arquivo

Cientistas da Universidade de Turim recomendam tomar vitamina D para combater a pandemia de coronavírus. O estudo dos professores de Geriatria, Giancarlo Isaia e Histologia, Enzo Medico , foi submetido aos membros da Academia de Medicina de Turim, que julgaram os primeiros resultados “muito interessantes”.

Subnotificação dificultou cenário no Brasil – #COMPARTILHE o Misto Brasília

O documento analisa as possíveis causas do contágio do Covid-19 e propõe a vitamina D certamente não como uma cura, mas como uma ferramenta para reduzir os fatores de risco.

Os primeiros dados preliminares coletados atualmente em Turim indicam que os pacientes hospitalizados por Covid-19 têm uma prevalência muito alta de hipovitaminose D. “A compensação por essa ampla deficiência de vitamina pode ser alcançada principalmente expondo-a à luz do sol, tanto quanto possível, mesmo em varandas. e terraços, alimentando-se de alimentos ricos em vitamina D e, sob supervisão médica, tomando medicamentos específicos “, afirmam os pesquisadores.

As diferenças entre gripe e coronavírus – #COMPARTILHE

A análise, também realizada seguindo as recomendações recentes da Associação Dietética Britânica, investigou o papel que a falta de vitamina D poderia desempenhar, o que na Itália afeta grande parte da população, especialmente os idosos, nessa pandemia.

DF registra até este sábado à noite 260 casos – # COMPARTILHE as notícias do Misto Brasília

No documento, os autores sugerem aos médicos, em associação com as conhecidas medidas gerais de prevenção, garantir níveis adequados de vitamina D na população”, mas sobretudo naqueles já infectados, em seus familiares, nos profissionais de saúde, em idosos frágeis, nos hóspedes das residências assistenciais, nas pessoas em regime de clausura e em todos aqueles que, por várias razões, não se expõem adequadamente à luz do sol “. Além disso, a administração da forma ativa da vitamina D também pode ser considerada. (Do La Republica)

Mais noticias

Slider