Tribunal de Moscou condenou artistas por “terrorismo”

Moscou Rússia capital Misto Brasília
Vista parcial da capital da Rússia, a cidade de Moscou/Arquivo/Divulgação

Dramaturga Svetlana Petriychuk e a diretora teatral independente Zhenya Berkovich já haviam sido condenadas

Por Misto Brasil – DF

Um tribunal de Moscou condenou nesta segunda-feira (08) a dramaturga Svetlana Petriychuk e a diretora teatral independente Zhenya Berkovich a seis anos de prisão. A corte do regime russo alegou que as autoras eram culpadas de “justificar o terrorismo” na peçaFinist, o falcão corajoso escrita cinco anos atrás e encenada em 2020.

Com título inspirado num popular conto folclórico russo, a peça conta a história de uma mulher que é recrutada online para se tornar uma “noiva do Estado Islâmico”, vai para a Síria e depois retorna à Rússia, onde enfrenta julgamento.

Escrita na época da intervenção russa na prolongada guerra civil síria, em apoio ao ditador Bashar al Assad, ela se baseia em registros de casos criminais reais – inclusive transcrições de interrogatórios e de sentenças – de cidadãs da Rússia, Cazaquistão e Uzbequistão que decidiram ir para a Síria casar-se com militantes fundamentalistas islâmicos

As artistas já haviam sido submetidas a cerca de um ano de prisão pré-julgamento, após serem detidas, em maio de 2023, para indignação dos meios literários e oposicionistas. Na Rússia, “justificar” ou “defender” o terrorismo é crime punível com até sete anos de cárcere.

Durante o processo, ambas rechaçaram repetidamente as acusações. Numa das audiências, Petriychuk disse ter escrito essa obra de ficção para que eventos como os que apresenta não se repetissem. Por sua vez Berkovich afirmou que a encenara na esperança de deter o terrorismo, informou a Agência DW.

Informativo Misto Brasil

Inscreva-se para receber conteúdo exclusivo gratuito no seu e-mail, todas as semanas

Assuntos Relacionados


Informativo Misto Brasil

Inscreva-se para receber conteúdo exclusivo gratuito no seu e-mail, todas as semanas