Rússia e a Coreia do Norte anunciaram novo pacto de defesa

Coreia do Norte Kim Jong-un ditadura Misto Brasília
Kim Jong-un é o ditador da Coreia do Norte e que flerta com a guerra/Arquivo/Divulgação

O anúncio vem após relatos – negados pelas duas partes – de que a Coreia do Norte estaria abastecendo Moscou com munição

Por Misto Brasil – DF

Há décadas a Rússia e a Coreia do Norte não estiveram tão próximas quanto agora, no momento da visita do presidente russo Vladimir Putin a Pyongyang – a primeira em 24 anos.

Nesta quarta-feira (19), os dois países anunciaram um novo pacto de defesa que prevê, segundo Putin, a “assistência mútua em caso de agressão contra uma das partes”.

O anúncio vem após relatos – negados pelas duas partes – de que a Coreia do Norte estaria abastecendo Moscou com projéteis e – segundo fontes ucranianas e americanas – mísseis balísticos para uso na Ucrânia em troca de apoio com tecnologias militares e de satélite.

Se os relatos forem de fato verdadeiros, isso significaria que a Rússia está violando o embargo imposto pela Organização das Nações Unidas à Coreia do Norte que proíbe a importação e exportação de armas norte-coreanas, e que durante anos a própria Rússia ajudou a manter.

A aproximação com Pyongyang foi explicitamente apresentada por Putin como reação ao apoio cada vez maior do Ocidente à Ucrânia, com a entrega de armas de longo alcance e caças F-16 para uso em ataques ao território russo.

É por isso que, segundo Putin, a Rússia “não descarta o desenvolvimento de cooperação técnico-militar com a República Popular Democrática da Coreia”.

Na semana passada, o ministro de Defesa sul-coreano Shin Wonsik disse que seu país havia descoberto até 10 mil navios viajando da Coreia do Norte em direção à Rússia, carregando até 4,8 milhões de projéteis e artefatos explosivos. Já um relatório da inteligência americana falava em “pelo menos 3 milhões”.

À agência de notícias Bloomberg, Wosnik afirmou que Putin provavelmente usaria sua visita a Pyongyang para pedir mais armas.

Se confirmadas, essas entregas seriam uma grande vantagem para a Rússia em sua guerra contra a Ucrânia, já que as suas tropas também têm se queixado de falta de armamentos.

Informativo Misto Brasil

Inscreva-se para receber conteúdo exclusivo gratuito no seu e-mail, todas as semanas

Assuntos Relacionados


Informativo Misto Brasil

Inscreva-se para receber conteúdo exclusivo gratuito no seu e-mail, todas as semanas