Fraudes no comércio tem maior incidência no varejo de moda de luxo

Polícia fraude bancária dinheiro DF
Objetos e dinheiro apreendidos em operação policial realizada no DF/Arquivo/Divulgação/PCDF

Apesar do aumento significativo na atividade fraudulenta, 82% das empresas afirmaram ter sistemas eficazes de prevenção de fraudes em vigor

Por Misto Brasil – DF

As ações fraudulentas resultaram em um prejuízo médio de R$ 8,5 milhões (US$ 1,7 milhão) por empresa no ano passado no país.

As perdas são ainda mais expressivas em determinados mercados, como o varejo de moda de luxo, que teve prejuízo de R$ 9 milhões, e o comércio de aparelhos eletrônicos, com perda média de R$ 10,2 milhões por empresa.

Mais de um terço das empresas brasileiras (37%) foi vítima de ataques cibernéticos ou vazamentos de dados nos últimos 12 meses, o que aumentou 69% em comparação com os números divulgados pelo relatório em 2022.

O levantamento foi divulgado nesta segunda-feira (08) pelo Relatório Varejo da empresa mundial de pagamentos Adyen. A pesquisa foi realizada 518 empresas brasileiras entre 15 de janeiro de 2024 e 1º de fevereiro.

E também com 13.177 comerciantes no Reino Unido, Japão, França, EUA, Brasil, Portugal, Polônia, Itália, Alemanha, Austrália, Espanha, Holanda, Suécia, Canadá, México, Cingapura, Malásia, Hong Kong, Índia, Áustria, Suíça, Bélgica, Noruega, Dinamarca, Emirados Árabes Unidos e China

Dois em cada cinco consumidores brasileiros (43%) foram vítimas de fraudes de pagamentos em 2023.

Também conhecida como roubo de identidade, a fraude em pagamentos acontece quando há o roubo do número do cartão de crédito ou débito, ou dos dados da conta corrente, para a realização de uma compra não autorizada.

Os consumidores brasileiros que foram vítimas de fraude de pagamentos em 2023 perderam, em média, R$ 2022,46 – um aumento de 137% em relação ao ano anterior (R$ 853).

Apesar do aumento significativo na atividade fraudulenta, 82% das empresas afirmaram ter sistemas eficazes de prevenção de fraudes em vigor – um aumento de 8 pontos percentuais em relação ao ano passado (74%).

De acordo com a pesquisa, o risco de fraude afetou o comportamento do consumidor durante as compras, tanto na loja física quanto na loja online.

Um quarto (25%) dos consumidores brasileiros se sente mais inseguro ao fazer compras hoje em comparação com 10 anos atrás, devido ao aumento dos riscos de fraude.

Como resultado, 36% dos consumidores brasileiros optam por fazer compras em lojas que têm medidas de segurança mais rigorosas e, ao fazer compras online, 23% dos consumidores gostam quando o varejista solicita comprovação de identidade nos pagamentos, pois isso dá confiança de que existem proteções eficientes contra fraudes.

Informativo Misto Brasil

Inscreva-se para receber conteúdo exclusivo gratuito no seu e-mail, todas as semanas

Assuntos Relacionados


Informativo Misto Brasil

Inscreva-se para receber conteúdo exclusivo gratuito no seu e-mail, todas as semanas