Ex-presidente Bolsonaro não poderá viajar para Israel

Bolsonaro chora Misto Brasília
Bolsonaro alterou o registro de imunização no cartão de vacinação/Reprodução TV Brasil

O passaporte foi apreendido em fevereiro, a pedido da Polícia Federal no âmbito da operação Tempus Veritatis

Por Misto Brasil – DF

Após solicitar seu passaporte apreendido ao ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), o ex-presidente teve o pedido negado e não poderá viajar para Israel.

Nesta semana, o ex-presidente Jair Bolsonaro pediu novamente ao ministro Alexandre de Moraes que liberasse seu passaporte após receber um convite do premiê israelense, Benjamin Netanyahu, para visitar Israel entre 12 e 18 de maio.

Leia – PGR tem cinco dias para responder sobre alegações de Bolsonaro no caso da embaixada

No entanto, a solicitação foi negada, de acordo com o g1. A decisão de Moraes segue entendimento da Procuradoria-Geral da República (PGR). O pedido é o segundo enviado pelos advogados do ex-presidente ao ministro.

O passaporte foi apreendido em fevereiro, a pedido da Polícia Federal no âmbito da operação Tempus Veritatis, que apura uma suposta tentativa de golpe de Estado para manter o ex-presidente no poder.

Na decisão, Moraes também o proibiu de manter contato com outros investigados, relembrou a mídia.

Em 14 de fevereiro, Paulo Cunha Bueno, advogado do ex-presidente, anunciou que havia pedido a devolução do documento a Moraes. À época, ele classificou a decisão como “absurda” e disse que o ex-presidente “nunca deu qualquer indício de que se evadiria”.

Informativo Misto Brasil

Inscreva-se para receber conteúdo exclusivo gratuito no seu e-mail, todas as semanas

Assuntos Relacionados


Informativo Misto Brasil

Inscreva-se para receber conteúdo exclusivo gratuito no seu e-mail, todas as semanas