Prefeita de cidade litorânea do Equador é executada a tiros

Equador Brigite Garcia prefeita Misto Brasil
Brigite Garcia foi executada a tiros, junto com outro homem/Reprodução vídeo

Brigite García era considerada a prefeita mais jovem do país e militava no movimento Revolução Cidadã

Por Misto Brasil – DF

Em meio ao estado de exceção decretado pelo governo do Equador para tentar conter a onda de violência que assola o país, a prefeita da cidade litorânea de San Vicente, Brigitte García, foi executada a tiros, informou a polícia neste domingo (24).

“Nesta madrugada, no setor de San Vicente, Manabí, foram identificadas no interior de um veículo duas pessoas sem sinais vitais, com ferimentos por arma de fogo, correspondentes a Jairo L. e Brigitte G. (prefeita do município de San Vicente)”, declarou a polícia em uma rede social.

Segundo veículos locais, a outra pessoa seria Jairo Loor, diretor de comunicação do município.

Aos 27 anos, García era considerada a prefeita mais jovem do país e militava no movimento Revolução Cidadã, liderado pelo ex-presidente esquerdista Rafael Correa (2007-2017).

O crime ocorreu em meio ao estado de exceção que vigora no Equador desde o início deste ano, quando uma onda de violência deixou dezenas de mortos e resultou em sequestros de funcionários carcerários, explosões nas ruas e à invasão armada do estúdio de uma emissora de TV durante uma transmissão ao vivo.

Em 7 de fevereiro, uma outra política foi executada em plena via pública: a vereadora Diana Carnero, 29, também ela uma apoiadora de Correa, baleada por assassinos de aluguel.

Ela atuava no município litorâneo de Naranjal, na província de Guayas, próximo à cidade portuária de Guayaquil, que nos últimos meses tem sido palco de ações violentas de narcotraficantes, informou a Agência DW.

García e Carnero somam-se a uma longa lista de autoridades equatorianas vítimas de matadores de aluguel nos últimos meses, que inclui promotores, juízes e políticos como o prefeito de Manta, Agustín Intriago, e o ex-candidato presidencial Fernando Villavicencio, baleado em também em via pública em plena campanha, a duas semanas das eleições, após relatar ter sido ameaçado por narcotraficantes.

Informativo Misto Brasil

Inscreva-se para receber conteúdo exclusivo gratuito no seu e-mail, todas as semanas

Assuntos Relacionados


Informativo Misto Brasil

Inscreva-se para receber conteúdo exclusivo gratuito no seu e-mail, todas as semanas