Rússia assume controle de cidade após retirada de ucranianos

Ucrânia incêndio e prédio Odessa porto Misto Brasília
Prédio no porto de Odessa, na Ucrânia, é bombardeado/Arquivo/Reprodução vídeo

O presidente russo Vladimir Putin parabenizou as suas tropas. A retirada foi necessária para evitar mais perdas de militares

Por Misto Brasil – DF

As Forças Armadas da Rússia conseguiram assumir o controle total da cidade de Avdeevka, República Popular de Donetsk (RPD), neste sábado (17) em meio à operação de ocupação, anunciou a agência russa Sputnik.

A vitória das tropas russas foi ressaltada pelo presidente Vladimir Putin, segundo o porta-voz do Kremlin, Dmitry Peskov. No lado da Ucrânia, informou-se que houve a retirada dos militares para evitar mais perdas das forças ucranianas.

Assim que foi anunciada a conquista total da cidade, Peskov informou que o líder russo Vladimir Putin felicitou os militares pelo avanço em Avdeevka.

“O presidente parabenizou nossos militares e combatentes por uma vitória tão importante, um sucesso tão grande”, disse Peskov.

O Ministério da Defesa da Rússia informou ainda que as perdas de tropas ucranianas nos combates por Avdeevka nas últimas 24 horas chegaram a mais de 1.500 soldados.

O comandante-chefe das Forças Armadas ucranianas, Aleksandr Syrsky, anunciou na última sexta-feira (16) a decisão de retirar as suas tropas de Avdeevka e entrar em modo defensivo.

Zelenski faz apelo na Alemanha por mais ajuda

Em discurso na Conferência de Segurança de Munique, neste sábado (17), o presidente da Ucrânia, Volodimir Zelenski, fez um apelo por mais apoio ocidental, afirmando que seu país sofre com um “déficit artificial” no fornecimento de armas, que, só viria beneficiando o regime do russo Vladimir Putin, que trava há quase dois anos uma guerra de agressão contra os ucranianos.

“Infelizmente, manter a Ucrânia num déficit artificial de armas, particularmente num déficit de artilharia e capacidades de longo alcance, permite a Putin adaptar-se à atual intensidade da guerra”, disse Zelenski,

Posteriormente, numa entrevista pública conduzida pela jornalista Christiane Amanpour, da rede CNN, Zelenski foi mais direto em seu apelo para que o Ocidente continue a apoiá-lo: “se a Ucrânia ficar sozinha, a Rússia vai nos destruir“, disse, acrescentando que as próximas vítimas serão os países bálticos (Estônia, Letônia e Lituânia) e a Polônia.

Informativo Misto Brasil

Inscreva-se para receber conteúdo exclusivo gratuito no seu e-mail, todas as semanas

Assuntos Relacionados


Informativo Misto Brasil

Inscreva-se para receber conteúdo exclusivo gratuito no seu e-mail, todas as semanas