Limpeza e contagem de prejuízos após o temporal na Asa Norte

Asa Norte alagamentos carro Misto Brasil
Os carros chegaram a ser arrastados pela correnteza com o temporal/Reprodução vídeo

A região foi a mais afetada no Distrito Federal com alagamentos nas tesourinhas, garagens e lojas subterrâneas

Por Misto Brasil – DF

O sábado (10) começou com muita limpeza em diversos comércios da Asa Norte após o temporal de 20 minutos no início da noite de ontem. Texto atualizado às 11h37

Também estão sendo avaliados os prejuízos, já que mercadorias, equipamentos e carros foram completamente inutilizados. Veja nota da Universidade de Brasília (UnB) logo abaixo.

Leia – temporal no início da noite provocou alagamentos em vários lugares

O Corpo de Bombeiros do Distrito Federal divulgou nesta manhã um relatório sobre os atendimentos realizados entre as 7 horas da noite passada até às 7h30 de hoje. Foram realizados 31 atendimentos por alagamento, 27 para desobstrução de esgoto, corte de duas árvores e 13 quedas de árvores.

A região da Asa Norte foi a mais afetada no Distrito Federal com alagamentos nas tesourinhas, garagens e lojas subterrâneas. O sistema de drenagem na Asa Norte tem sido apontada como responsável pelos problemas, que se assemelha aos registros de 2014.

Em algumas tesourinhas ainda há alagamento e a lama é retirada de loja. Os veículos tiveram que ser retirados às pressas, mas muitos chegaram a flutuar diante da quantidade de água.

Na UnB, houve alagamentos em salas de aulas e corredores. O Instituto de Física foi um dos mais prejudicado.  Nesta manhã foi realizada uma vistoria pela direção da Unb que também distribuiu uma nota, que compara as inundações de ontem a um fato ocorrido em 2019.

Nota divulgada pela direção da UnB

Na noite desta sexta-feira (9), a reitora Márcia Abrahão e o vice-reitor Enrique Huelva estiveram no campus Darcy Ribeiro para avaliar os impactos nos edifícios da Universidade de Brasília das intensas chuvas que atingiram o Distrito Federal. Acompanharam a vistoria o prefeito dos campi, Valdeci Reis, e o secretário de Infraestrutura, Augusto Dias, além de parte das equipes dessas áreas.

As já conhecidas deficiências no sistema de drenagem de águas da Asa Norte, somadas à topografia da região, propiciaram o alagamento de parte do subsolo da parte central do Instituto de Ciências Central (ICC centro) e do auditório do departamento de Engenharia Florestal.

O Instituto de Física (IF), em particular, foi notadamente a unidade mais prejudicada, com danos significativos em equipamentos, documentos, livros e mobiliário. O diretor do IF, Olavo Filho, juntamente com a comunidade de docentes, técnicas, técnicos e estudantes se mobilizaram prontamente para tentar recuperar o máximo possível.

É importante ressaltar que, em resposta a evento similar ocorrido em 2019, apesar das graves dificuldades orçamentárias, a Universidade de Brasília executou obras de contenção abrangendo todas as unidades situadas no subsolo do ICC, edificação com mais de 50 anos.

A Administração Superior expressa seu pesar pelas perdas registradas. Estamos acompanhando de perto a situação do Instituto e de outras áreas afetadas, disponibilizando suporte para mitigar os impactos da maneira mais rápida e permanente possível.

Seguimos solidários atuando firmemente para recuperar os danos e continuar as ações de melhoria das condições de infraestrutura de nossa Universidade.

Márcia Abrahão Reitora e Enrique Huelva Vice-Reitor

Informativo Misto Brasil

Inscreva-se para receber conteúdo exclusivo gratuito no seu e-mail, todas as semanas

Assuntos Relacionados


Informativo Misto Brasil

Inscreva-se para receber conteúdo exclusivo gratuito no seu e-mail, todas as semanas