Carlos Bolsonaro prestará depoimento na Polícia Federal nesta terça-feira

Carlos Bolsonaro
Carlos Bolsonaro também é acusado de fazer rachadinha na Câmara do Rio/Arquivo/Lima

O filho do ex-presidente Jair Bolsonaro e seus assessores foram alvos de operação que investiga a chamada Abin paralela

Por Misto Brasil – DF

O vereador pelo Rio de Janeiro e filho do ex-presidente Jair Bolsonaro, Carlos Bolsonaro, vai prestar depoimento à Polícia Federal (PF) nesta terça-feira (30), no âmbito de uma investigação relacionada à suposta Abin paralela.

A informação foi confirmada pelo próprio ex-presidente em uma entrevista à CNN Brasil. Esta é a manifestação PGR na PET 12155 Esta é a decisão do ministro Alexandre de Moraes

Jair Bolsonaro disse que o processo está sob segredo de Justiça e que nem ele nem seu filho têm qualquer ligação com o alegado uso da Agência Brasileira de Inteligência (Abin) para espionagem.

Ele questionou a urgência das perguntas e solicitou evidências que comprovem a existência do caso.

A PF deflagrou uma operação na manhã desta segunda-feira (29) para investigar uma suposta atuação irregular da Abin, durante o governo Bolsonaro — o órgão teria monitorado possíveis desafetos do ex-presidente.

Carlos Bolsonaro e seus assessores foram alvos dessa operação, que envolveu nove mandados de busca e apreensão em diversas cidades do país, incluindo Angra dos Reis (RJ), Rio de Janeiro, Brasília (DF), Formosa (GO) e Salvador (BA).

A operação da PF visa avançar no núcleo político desse suposto esquema, identificando os principais destinatários e beneficiários das informações produzidas ilegalmente.

A investigação trata sobre a invasão clandestina da rede de infraestrutura de telefonia do país e o uso de técnicas próprias de investigação policial sem a devida autorização judicial.

O crime envolve o uso de ferramentas de geolocalização em dispositivos móveis sem o conhecimento dos monitorados e sem autorização judicial.

O deputado federal Alexandre Ramagem, ex-diretor-geral da Abin, também foi alvo da operação. Ramagem, que comandou a agência durante o governo Bolsonaro, é pré-candidato à prefeitura do Rio de Janeiro com o apoio do ex-presidente.

A ação da PF de hoje (29) é uma continuação das investigações da operação Última Milha, deflagrada em outubro do ano passado.

Informativo Misto Brasil

Inscreva-se para receber conteúdo exclusivo gratuito no seu e-mail, todas as semanas

Assuntos Relacionados


Informativo Misto Brasil

Inscreva-se para receber conteúdo exclusivo gratuito no seu e-mail, todas as semanas