Desmatamento no Cerrado mais do que dobrou em novembro

Cerrado bioma diversidade Jardim Botânico de Brasília Misto Brasília
O bioma do Cerrado é um dos mais aneaçados por conta do desmatamento/Arquivo/Agência Brasília

Pesquisa aponta que na fronteira agrícola do Matopiba ocorreu o maior crescimento do desmatamento do bioma

Por Maria Eduarda – DF

Os dados divulgados pelo Sistema de Alerta de Desmatamento do Cerrado (SAD Cerrado) com o Instituto de Pesquisa Ambiental da Amazônia (IPAM), apontam que o desmatamento no Cerrado mais do que dobrou em novembro, atingindo 115 mil hectares de áreas de vegetações perdidas.

A área registrada em novembro de 2023 é 103% maior do que a registrada no mesmo mês em 2022 e 70% maior do que a marca de 2021.

A pesquisa aponta que a alta dos números foi causada pelo crescimento do desmatamento da fronteira agrícola dos estados do Maranhão, Tocantins, Piauí e Bahia, conhecida como Matopiba, que aumentou 173% em relação a novembro de 2022.

Atingiu 84,3 mil hectares apenas neste mês em 2023. Na prática, esse número representa 73% do que foi desmatado no novembro.

A pesquisadora do Ipam, Fernanda Ribeiro explica que a expectativa do instituto era que após o período de seca ocorreria a diminuição do desmatamento do bioma.

“O ano de 2023 está se consolidando como o ano dos recordes de desmatamento no Cerrado. Historicamente, o pico costuma ocorrer no meio do ano, na época de seca. Estamos observando um aumento atípico do desmatamento agora no final do ano, sendo que a expectativa era de queda nesse período.”

A vegetação nativa do Cerrado mais atingida pelo desmatamento foi a savana, que ocupa a maior parte do bioma, enquanto as formações campestres ocuparam a segunda posição. As formações florestais, por sua vez, concentraram 21% do desmatamento de novembro, segundo os dados do Ipam.

Informativo Misto Brasil

Inscreva-se para receber conteúdo exclusivo gratuito no seu e-mail, todas as semanas

Assuntos Relacionados


Informativo Misto Brasil

Inscreva-se para receber conteúdo exclusivo gratuito no seu e-mail, todas as semanas