Morreu a última testemunha do assassinato de Leon Trotsky

Leon Trotsky neto Esteban Trotsky Misto Brasília
Leon é neto do revolucionário soviético Leon Trisky/Reprodução

O neto do revolucionário soviético tinha era adolescente quando testemunhou dois atentados

Por Misto Brasília – DF

A última testemunha viva do assassinato do revolucionário soviético Leon Trotsky, seu neto Esteban Volkov, morreu na noite de sexta-feira (16), na capital mexicana, aos 97 anos de idade.

Filho da filha mais velha de Trotsky, Zinaida Volkova, Esteban (o nome de nascimento era Vsevolod) nasceu em 7 de março de 1926 na União Soviética.

Seu pai foi executado e sua mãe cometeu suicídio. Órfão, ele passou a viver com seu tio Lev Sedov em Paris até sua morte.

Volkov se mudou para o México com seu avô em 1939, com 13 anos. Em 1940, ele testemunhou dois atentados contra a vida de Trotsky, no primeiro dos quais ele mesmo foi levemente ferido.

O autor da Revolução Permanente foi efetivamente executado em 1940 na casa que o general Lázaro Cárdenas, então presidente do México, havia providenciado para seu refúgio em Coyoacán.

No país latino-americano Esteban adquiriu a nacionalidade mexicana e se formou como químico, profissão que lhe permitiu estabelecer um método para a produção industrial da pílula anticoncepcional.

O neto do revolucionário russo abriu na Cidade do México o Museu Casa de Leon Trotsky e, até sua morte, participou do movimento socialista local, de acordo com informações da Agência Sputnik.

Informativo Misto Brasil

Inscreva-se para receber conteúdo exclusivo gratuito no seu e-mail, todas as semanas

Assuntos Relacionados


Informativo Misto Brasil

Inscreva-se para receber conteúdo exclusivo gratuito no seu e-mail, todas as semanas