Invasão estragos janela Misto Brasília

AGU amplia pedido para bloquear bens de bolsonaristas

A cifra do bloqueio de bens solicitado pela Advocacia-Geral da União chega a R$ 18,5 milhões

A Advocacia-Geral da União (AGU) adicionou nesta terça-feira (24) uma nova medida cautelar aos envolvidos no financiamento e na invasão das sedes dos três Poderes em Brasília, em 8 de janeiro.

Segundo informou o órgão, a medida tem como alvo 40 presos em flagrante. A AGU solicitou que os presos em questão tenham os bens bloqueados como forma de assegurar que sejam utilizados para ressarcir o patrimônio público depredado.



Trata-se da segunda medida cautelar movida pelo órgão. A primeira foi no dia 11, quando foi solicitado o bloqueio de bens dos financiadores dos ataques. Agora, com a inclusão dos presos em flagrante durante os atos de depredação, a cifra do bloqueio de bens solicitado pela AGU chega a R$ 18,5 milhões.

A cifra leva em conta relatórios de estimativas de danos elaborados pelo Palácio do Planalto, Supremo Tribunal Federal (STF), Senado e Câmara dos Deputados. Porém o valor ainda pode aumentar, caso novos danos sejam contabilizados. Entre outros bens, o bloqueio solicitado pela AGU envolve imóveis, veículos e valores em contas financeiras.