Lula da Silva discurso posse Misto Brasília

Lula diz que a prioridade será combater a pobreza

No seu discurso de posse, ele fez duras críticas ao governo que saiu e disse que tem compromisso com a democracia

Por Misto Brasília – DF

O presidente Lula da Silva (PT) foi empossado nesta tarde no Congresso Nacional para exercer o mandato até 4 de janeiro de 2027. No seu discurso de posse, fez uma série de promessas, como resgatar da pobreza, segundo ele, 33 milhões de brasileiros.

O Misto Brasília transmite ao vivo as cerimônias de posse – confira na homepage do site

Lula da Silva retorna pela terceira vez à Presidência da República pela terceira vez. Hoje (01) foi empossado como o trigésimo-nono presidente do Brasil.



“Temos a obrigação de fazer melhor do que fizemos”, sentenciou. E disse que o Brasil tem que voltar a ser um país soberano. “Seremos respeitados”, num discurso de 30 minutos.

Fez também muitas críticas ao governo que deixa o Palácio do Planalto. Lula da Silva disse que combater as fake news será um desafio e que a democracia é o melhor caminho para a democracia. “Minha mais importante será honrar a confiança. “Com a força do povo e a benção de Deus”.

Anunciou que cópias do relatório preparado pela equipe de transição serão distribuídas em todo o Brasil, “para que cada um faça a sua avaliação”. Segundo o novo presidente, a administração pública foi desestruturada. “O que foi diagnosticado é estarrecedor”.



Lamentou que cerca de 14 mil obras estejam paradas, mas que vai falar com os governadores para que prioridades sejam definidas.

Anunciou que Medidas Provisórias serão assinadas para reestruturar o Estado e que vai revogar as autorizações de armas. De improviso, desse que os brasileiros não precisam de armas, mas de livro, conhecimento e cultura.



Lula da Silva garantiu que atos na pandemia da Covid-19 serão apurados. Mais uma vez criticou o teto de gastos e garantiu que a regra será suprimida. O “genocídio”, disse ele, sobre as 700 mil mortes associadas à pandemia.

Prometeu que os bancos públicos, como o BNDES, serão promotores do desenvolvimento da economia e incentivadores do micro e pequeno negócios. “A economia voltará a girar”.