Equipe de transição CCBB Lula da Silva Misto Brasília

Lula da Silva terá sete senadores na equipe ministerial

Novo governo assume hoje com o compromisso de solucionar parte dos problemas da nação brasileira

Por Karine Melo – DF

A equipe ministerial do governo do presidente diplomado Lula da Silva, que tomará posse hoje, terá sete senadores, dois deles – Alexandre Silveira (PSD-MG), que assumirá a pasta de Minas e Energia e Simone Tebet (MDB-MS), do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão – encerrarão seus mandatos em 1º fevereiro.



Leia – a relação de ministros do novo governo

Entre os nomes que atuam na atual legislatura, apenas um, o senador Carlos Fávaro (PSD-MT), que comandará a pasta da Agricultura e Pecuária, ainda tem mais quatro anos de mandato.

Leia – Onze mulheres nos ministérios

Na lista de senadores escolhidos para compor o primeiro escalão do terceiro mandato presidencial de Lula, há quatro nomes que foram eleitos no último pleito: Camilo Santana (PT-CE), que estará a frente da Educação; Flávio Dino (PSB-MA), Justiça e Segurança Pública; Renan Filho (MDB-AL), Transportes; e Wellington Dias (PT-PI), Desenvolvimento Social, Assistência, Família e Combate à Fome.



Exoneração de ministros no Diário Oficial

O Diário Oficial da União (DOU), deste 1º de janeiro de 2023, publica decretos com as exonerações de ministros de Estado do governo Jair Bolsonaro.

Entre as exonerações, estão as dos ministros da Economia, Paulo Guedes; do Trabalho e Previdência, José Carlos Oliveira; do Meio Ambiente, Joaquim Álvaro Pereira Leite; de Minas e Energia, Adolfo Sachsida; do Gabinete de Segurança Institucional, Augusto Heleno Ribeiro Pereira; e do ministro da Defesa, Paulo Sérgio Nogueira de Oliveira.



Os decretos foram assinados nesse sábado (31) pelo vice-presidente em exercício da Presidência da República, Antônio Hamilton Martins Mourão.

Na sexta-feira (30), o então presidente Jair Bolsonaro viajou aos Estados Unidos (EUA), quando passou ao vice, Hamilton Mourão, o exercício da Presidência da República.

JNa condição de ex-presidente a partir de hoje, Bolsonaro deverá permanecer nos EUA pelo menos até o fim deste mês.