Ucrânia guerra destruição Misto Brasília

Putin acusa Alemanha de colocar a segurança em jogo

Decisão de cancelar o gasoduto Nord Stream 2 teria partido da Alemanha, afirmou o presidente da Rússia

O presidente da Rússia, Vladimir Putin, afirmou em coletiva de imprensa nesta sexta-feira (14), em Astana, capital do Cazaquistão, que Berlim teria cometido um “erro” ao se posicionar do lado da Organização do Tratado do Atlântico do Norte (Otan) no contexto da guerra na Ucrânia.



A decisão de cancelar o gasoduto Nord Stream 2 teria partido da Alemanha, afirmou o chefe de Estado. Assim, o país teria colocado a segurança da Otan e da Europa acima do que ele considera interesses nacionais, e “os cidadãos, as empresas e a economia alemães estão pagando por esse erro que tem consequências negativas para a eurozona como um todo e para a Alemanha”.

Em contrapartida, a Rússia estaria “fazendo tudo certo” em seu esforço prolongado de ocupar a Ucrânia – embora este venha expondo o país invasor a continuadas acusações de crimes de guerra e de violações dos direitos humanos e das leis internacionais.


Na coletiva realizada ao fim da cúpula da Organização do Tratado de Segurança Coletiva (OTSC), Putin disse crer que o trabalho de “mobilização parcial” da população masculina russa para lutar na Ucrânia esteja “chegando ao fim” e que todos os processos relacionados devem se concluir dentro de duas semanas.

Embora essa afirmativa possa ser verdadeira, a falta de treinamento dos recrutas enviados para a guerra é “uma receita perigosa”, que dificilmente trará resultados benéficos para Putin, comentou à DW o especialista em segurança Dmitri Mikhailovich, residente nos Estados Unidos.

“Quando ele anunciou a mobilização, a guerra chegou ao povo russo. Não creio que haja perigo de levantes populares num futuro próximo, mas [Putin] está começando a perder o entusiasmo por essa guerra, à medida que os russos têm que se sacrificar pessoalmente por ela”, informou a DW.