Imóvel funcional DF

Tudo que você precisa saber sobre o consórcio de imóvel

Como é diferente do tradicional financiamento, seus benefícios e vantagens são bem diferentes

O consórcio de imóvel é um dos meios mais interessantes para adquirir a sua casa, e finalmente realizar um dos maiores sonhos de sua vida. Ainda sim, muitos não fazem ideia de como o mesmo funciona, ou até do que se trata.

Este traz grandes e interessantes possibilidades para conseguir concretizar tal objetivo. Afinal, por ser diferente do tradicional e popular financiamento, seus benefícios e vantagens são bem diferentes.

Apresentaremos para você, nosso caro leitor,  como funciona o consórcio de imóvel, permitindo que possa ver em quais situações este será mais do que bem vindo para conquistar sua moradia.



Por que esta pode ser a melhor opção para você?

Ainda que o consórcio seja menos procurado do que o financiamento, este é capaz de servir o mesmo propósito de maneira igual ou até melhor que o próprio, visto seu método de funcionamento.

Mas este pode não ser o melhor em certos casos. Para muitos, o consórcio é uma escolha de quem pode esperar, ou seja, de pessoas que não tem pressa e que desejam sim comprar suas residências.

Esta também é uma ideia interessante para aqueles que já têm a própria casa, mas desejam adquirir outra e usar a antiga como um aluguel, como garantia para conseguir crédito, como no caso do crédito com garantia de imóvel, ou outro tipo de negócio rentável.

Entretanto, para aqueles que têm mais pressa, seja por qualquer causa que afete a sua vida, este deixará, e muito, a desejar. É possível sim conseguir fazer negócio com este, mas o financiamento é muito superior em casos de maior urgência.



E como funciona?

O consórcio de imóvel funciona de maneira diferente do financiamento. Ainda que existam parcelas, essas são bem diferentes do que se pode pensar, onde cada uma funciona mais como uma “aposta”.

E como assim “aposta”? Simples. O consórcio se trata de entrar para um grupo de pessoas, onde todos, enquanto pagam as parcelas referentes ao mesmo, estão sujeitos a ser sorteados e conseguir o dinheiro necessário para comprar a tão sonhada casa própria.

Claro que isso não desabilita o pagamento. Um ganhador ainda deverá se manter pagando enquanto ainda restam parcelas, evitando possíveis problemas judiciais, nome sujo, e outros diversos tipos de adversidades.

Para aqueles que não conseguiram ganhar um valor para conseguir adquirir suas residências, não é preciso se preocupar. No final do pagamento, lhe será concedida uma carta de crédito que servirá para tal fim.



Juros e taxas

Uma das características mais marcantes para aqueles que já utilizam do consórcio em suas vidas é o fato de que neste não existe a cobrança de taxas tributárias ou juros abusivos.

E sequer é difícil entender o por que isso não ocorre neste, visto que a intenção do mesmo é utilizar o dinheiro arrecadado nas parcelas deste para a aquisição de grandes bens à vista.

Sem pagar este tipo de custo em cima do valor parcelado contratado, este se torna uma ótima opção para quem deseja fugir dos altos valores impostos pelo sistema de financiamento tradicional.

Os consorciados devem arcar apenas com algumas taxas impostas pela administradora que possuem um contrato. Algumas destas taxas são:

  • Taxa de administração: esta corresponde a remuneração da administradora pela gestão do consórcio;
  • Fundo comum: estes e refere ao valor efetivamente empregado na compra do bem designado;
  • Seguro: como os de vida e de quebra de garantia;
  • Fundo de reserva: destinado a proteger o funcionamento do grupo em alguns casos, como na inadimplência de algum membro que possa ocorrer durante o período em que o contrato estiver válido.

Um adicional a ser dito sobre o fundo de reserva é de que, caso haja recursos nesse fundo no encerramento do consórcio de imóvel, o valor será restituído proporcionalmente a cada um dos consorciados.

Com tudo isso, alguns pensariam que este deveria ser mais caro que a outra alternativa para conseguir crédito. Entretanto, quando colocado tudo na ponta do lápis, este se mostra como uma alternativa muito mais acessível, já que as suas taxas causam um impacto muito menor nas parcelas que se referem ao mesmo.