CPI da Covid plenário Misto Brasília

Bolsonaro será indiciado por genocídio na CPI da Covid

Relatório será apresentado na próxima semana com o indiciamento de 40 pessoas

O parecer do relator da CPI da Covid, senador Renan Calheiros (MDB-AL), deve pedir o indiciamento do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) por 11 crimes diferentes. Entre eles, estão epidemia com resultado morte, infração de medidas sanitárias, emprego irregular de verba pública, incitação ao crime, falsificação de documento particular, charlatanismo, prevaricação, genocídio de indígenas, crimes contra a humanidade, crimes de responsabilidade e homicídio por omissão.



Serão cerca de 40 pessoas indiciadas. Calheiros vai ler o relatório na comissão na próxima na terça-feira (19) e o parecer será votado na quarta-feira (20). O documento precisa ser aprovado pela maioria do colegiado para ser encaminhado à Procuradoria-Geral da República (PGR).  Cópias do relatório também devem ser encaminhadas à Polícia Federal e para outros órgãos de investigação e também para a justiça de primeiro grau.

O Senado divulgou as pautas para  segunda-feira (18) e terça-feira  da CPI da Covid. Na segunda, a partir das 9 horas, estão previstos os depoimentos de Nelson Mussolini, representante do Conselho Nacional de Saúde e integrante do Conitec, ligado ao Ministério da Saúde, e Elton Chaves, do Conselho Nacional de Secretarias Municipais de Saúde.



A partir das 16 horas, ocorrerá audiência pública com sete familiares de vítimas da Covid. O Senado confirmou a presença e autorizou os gastos com passagens para Mayra Lima, Giovanna Silva, Katia dos Santos, Rosane Brandão, Arquivaldo Leite, Antônio Costa, Márcio Antonio Silva.