Desfile militar Exército Misto Brasília

Militares do Exército condenados por morte de músico e catador

Julgamento de 15 horas aconteceu após dois anos e meio do duplo assassinato

A Justiça Militar condenou na madrugada desta quinta-feira (14) oito militares pelas mortes do músico Evaldo dos Santos Rosa e do catador de material reciclável Luciano Macedo, fuzilados numa ação do Exército no Rio de Janeiro em 7 de abril de 2019.

Mais de dois anos e meio depois das mortes e após 15 horas de julgamento, o tenente Ítalo da Silva Nunes, que comandava a ação, recebeu uma pena de 31 anos e 6 meses de prisão por duplo homicídio e tentativa de homicídio de Sérgio de Araújo, sogro do músico.



Os outros sete militares condenados, que também efetuaram disparos na ação, realizada em Guadalupe, na Zona Norte do Rio, receberam penas de 28 anos de prisão. São eles: sargento Fábio Henrique Souza Braz da Silva, cabo Leonardo Oliveira de Souza, soldado Gabriel Christian Honorato, soldado Matheus Sant’Anna, soldado Marlon Conceição da Silva, soldado João Lucas da Costa Gonçalo e soldado Gabriel da Silva de Barros Lins.

Nunes recebeu a maior pena por, além de comandar o grupo, ter sido o primeiro a disparar e ter atirado o maior número de vezes: 77. Quatro outros militares que haviam sido acusado foram absolvidos por não ter sido provado que efetuaram disparos na ocasião.