Luciano Hang Havan loja

Bolsonarista Luciano Hang também teria dinheiro em paraíso fiscal

A Procuradoria-Geral da República deverá pedir informações ao ministro Paulo Guedes

O deputado federal Marcelo Freixo (PSB-RJ), informou que, junto com outros líderes da oposição na Câmara dos Deputados, irá acionar o Ministério Público Federal (MPF) para que investigue o ministro da Economia, Paulo Guedes, e o presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, segundo informou a Carta Capital.

Os dois mantiveram empresas em paraísos fiscais depois de terem entrado para o governo do presidente Jair Bolsonaro, no início de 2019, conforme publicou no domingo (03) o projeto Pandora Papers, do Consórcio Internacional de Jornalistas Investigativos.



Nesta manhã, o site Poder360 publicou que o empresário Luciano Hang manteve por 17 anos uma empresa num paraíso fiscal sem informar às autoridades que tinha dinheiro no exterior, como determina a lei. Criada em 1999 nas Ilhas Virgens Britânicas, um paraíso fiscal no Caribe, a offshore só foi regularizada em 2016, graças a uma lei sancionada pela presidente Dilma Rousseff,

Dois anos depois de ser regularizada, a empresa de Hang, chamada Abigail Worldwide, tinha em conta US$ 112,6 milhões.


A Procuradoria-Geral da República deverá pedir informações ao ministro Guedes sobre uma offshore no exterior. Guedes é dono da offshore Dreadnoughts sediada nas Ilhas Virgens Britânicas. Também participam da empresa a mulher, Maria Cristina Bolivar Drumond Guedes, e a filha, Paula Drumond Guedes. A empresa continua ativa e pode ter feito investimentos nos últimos dois anos, de acordo com as investigações divulgadas ontem.