Bolsa de Madrid

Mercado registra queda das ações e dólar tem leve variação

Também no radar, as vendas do varejo cresceram 1,2% em julho, com indicador de crescimento

O Ibovespa zera ganhos depois de chegar a subir mais de 1% nesta sexta-feira (10). O índice passa a acompanhar as bolsas internacionais, que abriram em alta, mas viraram para queda em meio às preocupações com a desaceleração da economia em um momento no qual o Federal Reserve estuda retirar estímulos, registrou o Infomoney.

Conforme a variante delta do coronavírus avança e os dados de emprego dos Estados Unidos mostram um desaquecimento do mercado de trabalho, Loretta Mester, presidente do Fed de Cleveland, diz que ainda gostaria que o banco central dos EUA começasse a cortar as compras mensais de títulos este ano. “Não acho que o relatório de emprego de agosto mudou minha visão de que fizemos um progresso substancial”, defendeu Mester.



Mais cedo, uma conversa entre os presidentes dos Estados Unidos e da China auxiliava no otimismo dos investidores. Joe Biden e Xi Jinping conversaram por telefone pela primeira vez desde fevereiro para tratar da disputa entre os dois países e evitar que a escalada da rivalidade comercial e tecnológica se torne um conflito.

A bolsa brasileira parece ter sua valorização limitada por uma tentativa de correção depois da alta de 1,7% ontem, que ocorreu em meio à carta conciliatória enviada pelo presidente Jair Bolsonaro ao Supremo Tribunal Federal (STF) com intermediação do ex-presidente, Michel Temer.

Também no radar, as vendas do varejo cresceram 1,2% em julho, segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). A expectativa média dos economistas era de expansão de 0,7% no indicador, de acordo com números compilados pela Refinitiv.



Foi o quarto crescimento consecutivo desse indicador, fazendo com que o volume de vendas do Comércio chegasse ao patamar recorde da série histórica da Pesquisa Mensal do Comércio (PMC), iniciada em 2000.

Às 11h59 (horário de Brasília) o Ibovespa tinha leve variação positiva de 0,08%, a 115.451 pontos. O dólar comercial registra leve variação positiva de 0,01% a R$ 5,228 na compra e a R$ 5,228 na venda. Já o dólar futuro com vencimento em outubro registra leve alta de 0,29% a R$ 5,244.