Portaria prejudica assistência às mulheres vítimas de violência

Portaria prejudica assistência às mulheres vítimas de violência

Técnicos e especialistas são retirados do plantão da Casa Abrigo do Distrito Federal

O Sindicato dos Servidores da Assistência Social e Cultural do GDF reclama da portaria 62/2021 que retira do plantão técnicos e especialistas em assistência social. O resultado é que, segundo o Sindasc, o atendimento na Casa Abrigo fica comprometido no período noturno e nos fins de semana.

Levantamento feito por servidores da Casa Abrigo em 2020 mostra que 51% das entradas de mulheres na Casa Abrigo são registradas no período das 19h às 7 horas, “o que mostra a necessidade do atendimento feito por técnicos e especialistas em assistência social no período noturno”, diretor do Sindsasc, Clayton Avelar.


Com funcionamento em período integral, a Casa Abrigo acolhe mulheres que sofrem violência doméstica e que são alvos de ameaças de morte. Segundo dados da Secretaria de Segurança Pública do Distrito Federal (SSPDF), 43 mulheres são agredidas por dia no DF.

“É fundamental a atuação de técnicos e especialistas em assistência social durante as noites e fins de semana. Se essa portaria for mantida, a capacidade operacional fica comprometida”, avalia o diretor do Sindsasc, Clayton Avelar.