NEWSLETTER

Inscreva-se em nossa newsletter.

PF descobre que Pazuello foi alertado sobre colapso no AM

De acordo com a mídia, o ofício teria sido enviado a Pazuello e ao comandante militar da Amazônia
CPI da Covid Eduardo Pazuello
Pazuello está sendo investigado por problemas de gestão na pandemia/Edilson Rodrigues/Agência Senado

Ao reunir novas evidências sobre a crise de oxigênio que aconteceu em Manaus em janeiro, a Polícia Federal descobriu que tanto o ex-ministro da Saúde, general Eduardo Pazuello, quanto o Exército da Amazônia, haviam sido alertados cinco dias antes pelo governo do estado sobre o colapso e não atenderam ao pedido de socorro, de acordo com a Folha de São Paulo.

De acordo com a mídia, o ofício teria sido enviado a Pazuello e ao comandante militar da Amazônia, general Theophilo Oliveira, no dia 9 de janeiro e assinado pelo governador do Amazonas, Wilson Lima (PSC).

No documento, o governador destaca a necessidade de oxigênio diante da alta de infecção pelo vírus da COVID-19 e do aumento dos casos de internação, com “súbito aumento no consumo” do insumo. Além desses alertas, o ofício aponta para a “iminência de esgotamento” e para a “necessidade de resguardar a vida dos pacientes” no estado, segundo a mídia.

No dia 12 de janeiro, novo ofício teria sido enviado a Pazuello, que recebeu novamente aviso de que o consumo havia mais do que triplicado, com outro pedido do governo do estado para serem enviados geradores de oxigênio e microusinas. Segundo a mídia, não houve registro de transporte das solicitações citadas antes do colapso do dia 14.

Mais noticias

Slider