Brasil identifica seis e a Argentina dois infectados pela cepa indiana

Brasil identifica seis e a Argentina dois infectados pela cepa indiana

A Secretaria da Saúde do Maranhão informou hoje (20) que foram confirmados seis casos da variante indiana da Covid-19. Os infectados são tripulantes do navio Mv Shangon da Zi, que está ancorado a alguns quilômetros do Porto do Itaqui, em São Luís. Outros nove de um total de 24 tripulantes estão sendo observados, assim como 100 brasileiros que tiveram contato com os tripulantes nos últimos dias.

Além do Brasil, a Argentina confirmou dois casos da variante da peste que é bem mais agressiva que as demais. No Distrito Federal, a cepa que contamina as pessoas nos últimos 30 dias é da Amazônia, a chamada P1.As demais cepas não foram identificadas por aqui desde abril, segundo a Secretaria da Saúde.

A variante da Índia chamada de B.1.617 é classificada pela Organização Mundial da Saúde como uma “preocupação global”. O Instituto Evandro Chagas publicou que  “do total de amostras analisadas pelo Lacen-MA e concomitantemente pelo LVR-IEC, 15 mostraram-se positivas para SARS-CoV-2 e destas, seis atendiam os critérios para a realização do sequenciamento genômico, para a investigação da linhagem viral”. Veja a nota técnica do Instituto Evandro Chagas.

Embora não seja uma novidade – sua descoberta aconteceu em outubro de 2020 –, o número de casos provocados por ela no país asiático aumentou consideravelmente nas últimas semanas. Além disso, a cepa foi detectada em outros 44 países espalhados pelos seis continentes.

O Centro Estadual de Vigilância em Saúde (Cevs) recebeu um comunicado do Centro de Informações Estratégicas de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde sobre a confirmação de dois casos na Argentina de casos de Covid-19 com a variante indiana do coronavírus. O informe de risco, que foi encaminhado aos três Estados da Região Sul que fazem fronteira com a Argentina busca reforçar o monitoramento de possíveis mudanças no perfil de casos nesses locais.

Nota da Secretaria da Saúde do Rio Grande do Sul diz que segundo autoridades argentinas, em dois casos a variante identificada foi a B.1.617, originalmente da Índia. Houve ainda um terceiro caso onde a análise genômica apontou a variante B.1.351 (originalmente da África do Sul). As três são consideradas “variantes de preocupação” (ou VOC, na sigla em inglês para “Variant of Concern”). Os três viajantes vieram da França (os dois com a variante indiana) e Espanha (o com o diagnóstico da variante sul-africana) e entraram no país no dia 24 de abril, quando foram encaminhados para realizar o isolamento em Buenos Aires.