NEWSLETTER

Inscreva-se em nossa newsletter.

Quem é Ricardo Nunes, o novo prefeito da cidade de São Paulo

Ele é relativamente novo na política paulistana e é um empresário ramo de controle de pragas. Ele assume a vaga de Bruno Covas
São Paulo prefeito Ricardo Luís Reis Nunes
Ricardo Luís Reis Nunes é o novo prefeito de São Paulo, a maior cidade da América Latina/Divulgação

Ricardo Nunes, 53, empresário e político paulistano, é o novo prefeito de São Paulo. Filiado ao MDB, Nunes assume o cargo após a morte do titular Bruno Covas (PSDB), vítima de um câncer. Ricardo Luís Reis Nunes nasceu em São Paulo, em 13 de novembro de 1967. Ele mora na zona sul da capital, é casado com Regina Carnovale Nunes e tem três filhos. Nunes chegou a estudar Direito nas Faculdades Metropolitanas Unidas (FMU), mas não concluiu o curso, escreve o InfoMoney.

As 18 anos, ele criou o jornal regional Hora de Ação, que cobria bairros da zona sul – que viria a se tornar seu reduto eleitoral. Na mesma época, se filiou ao então PMDB.

Posteriormente, tornou-se empresário do ramo de controle de pragas. Em 1997, fundou a empresa Nikkey, que tem entre suas principais atividades o tratamento fitossanitário de cargas importadas e exportadas do Brasil, e o controle de pragas urbanas.

Além da matriz em São Paulo, a Nikkey tem filiais no Rio de Janeiro, Minas Gerais, Bahia e Espírito Santo. Atua nos portos de Santos, Rio de Janeiro, Vitória e Salvador; e nos aeroportos de Guarulhos, Viracopos, Galeão e Confins. Conta com mais de 200 profissionais, de acordo com o site da própria companhia, descrita como uma das maiores de seu segmento.

Nunes já foi presidente da Associação Empresarial da Região Sul de São Paulo (Aesul), fundou a Associação de Empresas de Controle de Pragas do Estado de São Paulo (Adesp) e a Associação Brasileira das Empresas de Tratamento Fitossanitário e Quarentenário (Abrafit).

Ricardo Luís Reis Nunes tentou se eleger vereador pela primeira vez em 1989, mas não teve sucesso. Voltou à carga em 2012, quando conquistou pela primeira vez uma vaga na Câmara Municipal. Foi reeleito em 2016. Compôs a base de apoio na Câmara Municipal nas gestões de Fenando Haddad (PT), Joao Doria (PSDB) e Covas. Conservador e ligado à Igreja Católica, enquanto vereador fez lobby para anistiar e regularizar templos religiosos e conseguiu barrar termos como “gênero” no Plano Municipal de Educação (PME).

Segundo O Estado de São Paulo, Nunes defendia que a sexualidade não deveria ser abordada em salas de aula. Ele é contra a “ideologia de gênero”, termo usado por conservadores para travar discussões sobre diversidade sexual. “Eu sou pela família, gênero não”, declarou, de acordo com a Folha de São Paulo.

Mais noticias

Slider