NEWSLETTER

Inscreva-se em nossa newsletter.

Hospital confirma a morte do prefeito de São Paulo Bruno Covas

Após lutar contra um câncer no sistema digestivo. Ele recebeu sedativos e analgésicos para não sentir dores
Prefeito SP Bruno Covas
Bruno Covas estava em tratamento contra um câncer/Arquivo/Divulgação/PSDB

Neste domingo (16), o prefeito licenciado de São Paulo, Bruno Covas, morreu aos 41 anos, após lutar contra um câncer no sistema digestivo com metástase nos ossos e no fígado desde 2019. Veja notas de pesar. Atualizado às 11h09

Desde o dia 2 de maio o prefeito estava internado no Hospital Sírio-Libanês, quando se licenciou da prefeitura. Na sexta-feira (14), a equipe médica informou que o quadro de saúde de Bruno Covas havia se tornado irreversível, após o paciente apresentar uma piora no quadro.

Após receberem a notícia do quadro irreversível, familiares e amigos do prefeito licenciado permaneceram no hospital. Um padre compareceu ao hospital na noite de sexta-feira (14) para fazer a unção dos enfermos, um sacramento católico. Em seus últimos momentos de vida Covas recebeu sedativos e analgésicos para não sentir dores.

O presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL) disse que lamenta “profundamente o falecimento do prefeito de São Paulo, um jovem talento na política, que travou com coragem e otimismo uma árdua batalha. Como deputado federal, foi meu colega na Comissão de Constituição e Justiça, em 2015, com quem tive a honra de trabalhar”.

Nota da bancada do PSDB na câmara

A bancada do PSDB na Câmara recebe com profundo pesar e consternação a notícia do falecimento do prefeito de São Paulo, Bruno Covas. Sua partida prematura interrompe uma promissora trajetória e sua gestão à frente da prefeitura o credenciava a desafios maiores.

Mais do que o sobrenome do avô Mário, referência para o PSDB e para a política, Bruno trazia muitas das suas qualidades: retidão de caráter, compromisso com a coisa pública, excepcional capacidade de gestão e de articulação e, acima de tudo, um democrata, que nunca abriu mão de seus princípios e do respeito aos adversários, mesmo em meio a eleições acirradas, como a última que disputou.

O PSDB perde um grande companheiro, o povo paulistano e o Brasil perdem um dos maiores líderes da sua geração. Mas seus familiares e especialmente  seu filho Tomás perdem muito mais: um pai amoroso, sempre presente e um ente insubstituível. A eles e aos amigos registramos nossa solidariedade e carinho.

Rodrigo de Castro, Líder do PSDB na Câmara dos Deputados

Nota do presidente do Congresso Nacional

Com muita tristeza recebo, neste domingo (16), a notícia do falecimento do prefeito de São Paulo, Bruno Covas, 41 anos, que lutava incansavelmente contra um câncer. Bruno Covas era, sem dúvida, um dos maiores quadros da nossa geração, representante dos ideais da social democracia, valores defendidos pelo seu partido, o PSDB, que teve entre os fundadores o seu avô, Mário Covas.

Em 2015, ingressamos juntos na Câmara dos Deputados, onde convivemos até ele assumir o cargo de vice-prefeito de São Paulo, em 2017. Em 2019, tornou-se prefeito da capital e, no ano seguinte, em meio ao tratamento da doença, foi reeleito à prefeitura de São Paulo no primeiro turno das eleições.

Uma carreira vitoriosa, tristemente interrompida hoje.

Em nome do Congresso Nacional, expresso os meus profundos sentimentos de pesar ao seu filho, à sua família e à população de São Paulo.

Rodrigo Pacheco
Presidente do Congresso Nacional

Mais noticias

Slider