NEWSLETTER

Inscreva-se em nossa newsletter.

Todas as UTIs ocupadas e mais 121 mortes no Distrito Federal

Secretaria de Saúde informou que esse índice de infecção é 5,18% maior do que o registrado na quarta-feira
coronavirus máscara
Proteção é imporpante, assim como o isolamento social para evitar proliferar o vírus/Arquivo

O Distrito Federal não para de bater um triste recorde nessa pandemia. Somente no mês de março, foram 1.91 mortes, o maior deste o início da pandemia em março do ano passado. Nesta quinta-feira, o boletim da Secretaria da Saúde que foram registradas 121 mortes, totalizando 6.150.

E um detalhe importante: nesta sexta-feira, feriado nacional, não haverá vacinação, apenas no sábado em três drive-thru.

Não bastasse esses trágicos números, todos os hospitais da rede pública bateram novamente 100% de ocupação das UTIs para adultos. Na rede particular, a situação dramática também não é diferente. Há 259 pessoas na fila por um leito de UTI. Nesta tarde, a ocupação de leitos na urgência era de 99,30%. Somente hoje, foram contabilizados mais 1.318 casos do novo coronavírus.

A Secretaria de Saúde informou que esse índice de infecção é 5,18% maior do que o registrado na quarta-feira (31), quando houve 1.253 novos casos. Na mesma comparação, o número de óbitos registrou aumento de 3,4% – foram 117 óbitos no boletim anterior.

Em meio a recordes diários de óbitos, o Brasil fechou o mês de março como o mais mortal da pandemia de covid-19, registrando mais de 66 mil mortes apenas nos últimos 31 dias. O número é maior do que a população de 5.067 dos 5.570 municípios do país.

O país registrou nesta quinta-feira (01) o terceiro dia consecutivo com mais de três mil mortes por covid-19. Em apenas 24 horas, foram contabilizadas 3.769 mortes associadas à doença, segundo dados divulgados pelo Conselho Nacional de Secretários da Saúde (Conass).

Também foram identificados 91.097 novos casos da doença. Com isso, o total oficial de infecções no país subiu para 12.839.844, enquanto os óbitos chegam a 325.284. A taxa de mortalidade por grupo de 100 mil habitantes subiu para 154,8 no Brasil.

Mais noticias

Slider