NEWSLETTER

Inscreva-se em nossa newsletter.

Sorteio escolhe servidores para licitação de R$ 160 milhões da Secom

Estão relacionados para o sorteio servidores da Secom, do Iges-DF, do Instituto de Previdência e representantes de três outros órgãos públicos
Palácio do Buriti GDF
Foi decretado ponto facultativo para os servidores do GDF/Arquivo/Lúcio Bernardo Jr/Agência Brasília

No próximo dia 18 será feita a escolha, através de sorteio, de três membros para a subcomissão técnica que vai analisar e julgar as propostas para a escolha de quatro agências de publicidade para atender os órgãos públicos do Distrito Federal. o local será o Palácio do Buriti, sede do governo distrital. Já as propostas das empresas serão recebidas no dia 22, às 9 horas, no auditório do Detran, segundo o edital de concorrência 01/2021.

O valor de contrato para o primeiro ano é de R$ 160 milhões, já previstos no Orçamento de 2021. Os recursos estão divididos em R$ 80.634.748,00 para programa e trabalho e R$ 79.365.252,00 para publicidade e propaganda. A Secretaria da Comunicação (Secom) poderá ou não realizar todas as despesas previstas.

O sorteio envolverá os servidores da Secom Eduardo de Sousa Soares, Mauricio de Carvalho Sampaio, Isaac Marra de Castro Junior e Daniele Faria Lopes. a servidora da Setur/DF,  Otavio Veríssimo Sobrinho, servidor-Iprev/DF e Pelágio Duarte Sousa Gondim, servidor-Iges/DF. E profissionais sem vínculo, Cecilia Akemi Kobayahi, da CNA/Senar, Fábio Augusto Oliveira Pinheiro, do Ministério do Turismo e Márcio Ferreira do Nascimento, do Sesc/DF.  O aviso de sorteio foi publicado hoje na página 77 no Diário Oficial do DF.

As agências escolhidas serão responsáveis estudo, o planejamento, a conceituação, a concepção, a criação, a execução interna, a intermediação e a
supervisão da execução externa e a distribuição de publicidade aos veículos e demais meios de divulgação, “com o intuito de atender ao princípio da publicidade e ao direito à informação, de difundir ideias, princípios, iniciavas ou instituições ou de informar o público em geral e, quando couber, de promover a venda de bens
ou serviços”.

A Secom afirma no edital que “nos dois primeiros anos de gestão, houve um grande trabalho de recuperação fica do monumento construído no inóspito cerrado brasileiro. A sociedade se viu envolvida numa série de obras e ações que visaram mostrar uma ação permanente para que o brasiliense manvesse os olhos num futuro melhor”.

Mais noticias

Slider