NEWSLETTER

Inscreva-se em nossa newsletter.

Protestos violentos no Paraguai por negligência do governo na pandemia

Manifestantes acusam o governo de ter um papel menor nas decisões de controlar a pandemia e acelerar a vacinação
Paraguai Manifestação
Manifestaçòes ocorrem desde sexta-feira e ontem houve vários feridos/Hoy

Um total de 20 feridos são inicialmente relatados a partir dos eventos ocorridos na noite passada no microcentro de Assunção, após a mobilização de cidadãos para exigir ao governo paraguaio a crise de saúde, que resultou em violentos incidentes entre manifestantes e forças policiais. Após os confrontos ocorridos no centro da capital, 12 policiais ficaram gravemente feridos. Vários deles foram até atacados por manifestantes. Dos civis, foi mencionado que seis foram dispensados; enquanto um dos mais afetados teve um ferimento no olho esquerdo, causado por uma bolinha de borracha.

O ministro da Saúde, Julio Mazzoleni, renunciou na sexta-feira em meio a violentos protestos contra o governo do presidente Mario Abdo por lidar com a pandemia Covid-19. Ao som de “Mário Abdo renuncia”, os manifestantes colidiram com a polícia no centro de Assunção, resultando em vários feridos, segundo estimativas da AFP. Os bombeiros tiveram que intervir para evitar o incêndio no Ministério da Fazenda. Na sexta-feira, o número de infectados chegou a 165.811 e o número de mortos foi de 3.278 desde que o primeiro caso foi notificado em 7 de março de 2020.

Lojas destruídas e saqueadas, veículos violados, touradas, pellets de borracha e gás lacrimogêneo fizeram parte do cenário nas ruas de Asuncena. O Ministro da Saúde do Paraguai foi duramente criticado por legisladores, inclusive do partido no poder, e sindicatos de trabalhadores da saúde.

O ministro do Interior, Arnaldo Guizzio, confirmou que a pasta sob sua responsabilidade identificou várias pessoas que faziam parte de um grupo de infiltrados, contratados para gerar violência e buscar mortes na manifestação. Nas primeiras horas de mobilização, não foram registrados incidentes e a Polícia Nacional atuou apenas como observadora, segundo o ministro do Interior, Arnaldo Giuzzio, que lamentou que a atividade cívica tenha sido maculada por terceiros.

O Secretário de Estado anunciou que a instrução de hoje à Polícia é cumprir um papel muito mais estático e observador, esperando que o mesmo grupo de infiltrados não volte a entrar.

Diante da impossibilidade de portar armas regulamentares para proteger a ordem pública, a polícia antimotim uniformizada pediu aos manifestantes que reduzissem a intensidade de seus protestos.. O pedido foi feito no momento em que tentavam assumir o controle nas proximidades do Panteão dos Heróis. Os confrontos entre uniformizados e civis continuaram ali. Em um ponto, os manifestantes assumiram o controle das ruas.

Com 30 votos em 45 legisladores, o Senado emitiu uma resolução na quinta-feira pedindo ao ministro Mazzoleni que se retire. O ministro acatou o pedido na sexta-feira e anunciou sua renúncia após reunião com o presidente Abdo. A pandemia ganhou força no Paraguai e as autoridades admitem que a situação é “crítica”.(Com o Hoy e La Nación)

Mais noticias

Slider