NEWSLETTER

Inscreva-se em nossa newsletter.

Ações da Petrobras despencam após anúncio de Bolsonaro

Analista comenta que o que importa é a mensagem que está sendo transmitida ao mercado
Bolsa de Valores B3
Mercado financeiro está nervoso e queda de ações atinge também pequenos investidores/Arquivo

O Ibovespa opera em forte queda nesta segunda-feira (22) em meio à incerteza gerada pela decisão do presidente Jair Bolsonaro de trocar o comando da Petrobras por conta do reajuste de preços nos combustíveis. O general Joaquim Silva e Luna foi indicado para substituir o economista Roberto Castello Branco na presidência da estatal.

Ontem, a XP rebaixou a recomendação das ações da Petrobras de neutro para “venda” revisando, ao mesmo tempo, o preço-alvo do papel para R$ 24,00, de R$ 32,00: “não há mais como defender”, apontam os analistas, segundo o Infomoney.

“Embora não possamos tecer conclusões preliminares se a política de preços da Petrobras mudará sob uma eventual gestão do Sr. Silva e Luna, o que importa é a mensagem que está sendo transmitida ao mercado: está se tornando cada vez mais difícil do ponto de vista político para a Petrobras implementar uma política em que os preços dos combustíveis variam de acordo com as variações dos preços do câmbio e do barril de petróleo (principalmente no caso do diesel, dadas as pressões da categoria dos caminhoneiros)”, disseram os analistas da XP.

O ministro da Economia, Paulo Guedes, manteve-se em silêncio sobre a Petrobras porque não há nada que ele possa dizer sobre a decisão do presidente que a faça parecer melhor, disseram integrantes da equipe econômica. O ministro, no entanto, não desistiu de sua agenda e tentará minimizar as preocupações dos investidores sobre a intervenção política, acelerando a aprovação de uma pauta de austeridade no Congresso, disseram as pessoas, pedindo anonimato porque as discussões não são públicas, informou a agência Bloomberg.

Mais noticias

Slider