NEWSLETTER

Inscreva-se em nossa newsletter.

Deputado continua preso e Câmara marca sessão para esta sexta-feira

Durante a audiência de custódia de Daniel Silveira, foram encontrados dois celulares. Caso será apurado pela Polícia Federal
Deputado Daniel Silveira
Silveira estava preso na PM e agora cumpre a prisão domiciliar/Arquivo/Agência Câmara

O Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu hoje (18) manter a prisão do deputado Daniel Silveira (PSL-RJ), após o juiz Airton Vieira, que atua como magistrado instrutor do gabinete do ministro Alexandre de Moraes, realizar uma audiência de custódia com o parlamentar.

A audiência foi realizada por videoconferência. Com a decisão, o parlamentar, que está preso na Superintendência da Polícia Federal (PF) no Rio de Janeiro, deverá ser transferido para um batalhão da Polícia Militar.

Agora há pouco, a Polícia Federal informou em nota que, durante a execução dos protocolos de segurança realizados em local de custódia, foram localizados, no início da tarde de hoje, dois aparelhos celulares na sala onde se encontra custodiado o parlamentar. Foi determinada a instauração de inquérito policial para apurar as circunstâncias dos fatos.

Nesta sexta-feira (19), às 17 horas, a Câmara dos Deputados realizará sessão deliberativa do Plenário para apreciar a medida cautelar do Supremo Tribunal Federal (STF) contra o deputado bolsonarista que está preso desde terça-feira (16). A sessão foi marcada em reunião de líderes realizada nesta quinta-feira, na residência oficial do presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL).

No Senado, o senador Roberto Rocha (PSDB-MA) apresentou hoje requerimento ao presidente do Senado, em que convida o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Alexandre de Moraes, para esclarecer aos senadores o limite entre opiniões respaldadas pelo instituto de inviolabilidade parlamentar e opiniões que configuram conduta criminosa.

Mais noticias

Slider