NEWSLETTER

Inscreva-se em nossa newsletter.

DF registra 3,9 mil mortes associadas ao novo coronavírus

O Brasil registrou oficialmente 654 mortes ligadas à covid-19 e 47.898 casos confirmados da doença nas últimas 24 horas
Máscara ex-jogadora de vôlei Maria Isabel
Uso da máscara é uma boa maneira para evitar a transmissão do Covid-19, que em muitos casos é mortal/Arquivo

O Distrito Federal registrou até ontem (25) à noite 225.873 casos confirmados do novo coronavírus. O número de pacientes recuperados é de 215.994 e de óbitos é de 3.906. Somente ontem, foram anotadas oito mortes, uma a mais se comparado com o dia anterior. A recomendação é que as pessoas continuem com o distanciamento social, usem a máscara de proteção facial e lavem as mãos com frequência, e sempre que possível, usem o álcool 70% ou em gel.

O Brasil registrou oficialmente 654 mortes ligadas à covid-19 e 47.898 casos confirmados da doença nas últimas 24 horas, segundo dados divulgados nesta quarta-feira (25/11) pelo Conselho Nacional de Secretários da Saúde (Conass) e pelo Ministério da Saúde.

Com o novo número, o total de infectados no país vai a 6.166.606, enquanto o total de óbitos chega a 170.769. Ao todo, 5.512.847 pacientes se recuperaram da doença, segundo o ministério. O Conass não divulga número de recuperados. Diversas autoridades e instituições de saúde alertam, contudo, que os números reais de casos e mortes devem ser ainda maiores, em razão da falta de testagem em larga escala e da subnotificação.

A taxa de mortalidade por grupo de 100 mil habitantes subiu para 81,3 no Brasil, uma das mais altas do mundo – só fica abaixo dos índices registrados na Bélgica (139,54), Peru (111,42), Espanha (93,46), Itália (84,90), Argentina (84,13), Reino Unido (84,13) e México (81,42), desconsiderando os países nanicos San Marino e Andorra. A cifra brasileira também supera a dos EUA (79,45), nação mais atingida pela pandemia no planeta.

Mais noticias

Slider