NEWSLETTER

Inscreva-se em nossa newsletter.

AstraZeneca deve fazer teste global adicional da vacina contra a Covid-19

Já a CoronaVac, da chinesa Sinovac poderá ser aplicada no país mesmo sem registro da Agência Nacional de Vigilância Sanitária
Covid-19 vacina
Enquanto no Brasil há um atraso na vacinação, o Reino Unido já vacina há mais de duas semanas/Arquivo/TR/IT

A AstraZeneca provavelmente fará um teste global adicional para verificar a eficácia de sua vacina contra Covid-19, disse seu presidente-executivo, Pascal Soriot, nesta quinta-feira, depois de questionamentos sobre os resultados do estudo de estágio avançado da farmacêutica.

Ao invés de acrescentar este teste a um processo em andamento nos Estados Unidos, um novo estudo seria realizado para avaliar uma dosagem menor que teve um desempenho melhor do que uma inteira nos estudos da AstraZeneca, disse Soriot, segundo uma reportagem da Bloomberg News. “Agora que descobrimos o que parece ser uma eficácia melhor, temos que validar isso, por isso precisamos fazer um estudo adicional”, disse o CEO, de acordo com a reportagem.

A CoronaVac, vacina contra Covid-19 da chinesa Sinovac que está sendo testada no Brasil pelo Instituto Butantan, poderá ser aplicada no país mesmo que não obtenha registro da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), desde que receba o aval de agências reguladoras de outros países, disse nesta quinta-feira o governador de São Paulo, João Doria (PSDB), em entrevista ao portal Metrópoles.

“Não há outro caminho que não liberar (a CoronaVac) dentro dos critérios que a Anvisa tem, que são os mesmos critérios de protocolos internacionais de outras agências de vigilância sanitária que também estão avaliando a vacina CoronaVac, nos Estados Unidos, na Europa, sobretudo na Ásia. Essas agências, se validarem a vacina, ela estará validade independentemente da própria Anvisa”, disse ele.

Mais noticias

Slider