NEWSLETTER

Inscreva-se em nossa newsletter.

Rede zumbi atacou o sistema de inteligência que provocou atrasos na apuração

A explicação foi dada ontem pelo presidente do Tribunal Superior Eleitoral, ministro luís Barroso
Ministro Luís Barroso
Ministro Barroso apresentou as explicações sobre os atrasos na divulgação dos resultados/Arquivo

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) informou ontem (16) que o atraso de três horas na divulgação dos resultados do primeiro turno foi causado por uma falha no sistema de inteligência artificial de um computador. Após receber informações preliminares das causas do atraso, o presidente do tribunal, ministro Luís Roberto Barroso, afirmou que a lentidão foi provocada por uma falha nos processadores da máquina.

O Misto Brasília transmitiu ao vivo a entrevista com o ministro

Luís Roberto Barroso suspeita que as “milícias digitais” bolsonaristas tenham atacado o TSE. Segundo El País, “o ataque foi de 30 gigabites por segundo durante uma hora. No período, era como se 436.000 computadores tentassem acessar a página a cada segundo (…). A rede zumbi envolvia computadores sediados no Brasil, na Nova Zelândia e nos Estados Unidos”.

Após reunião com área de tecnologia da informação, Barroso disse que o supercomputador responsável pela totalização e divulgação dos votos chegou ao tribunal em agosto, devido à pandemia da covid-19, e não houve tempo necessário para fazer todos os testes antes do primeiro turno. O equipamento foi comprado em março.

“Não mudei a versão sobre os fatos. Ontem, a TI tinha diagnosticado que o problema era uma falha no processador, o que efetivamente ocorreu. As análises subsequentes demonstraram que, embora o problema tivesse ocorrido, a causa real era a outra, que eu descrevi aqui. Portanto, não é mudança de versão, é atualização da nossa compreensão do que aconteceu”, explicou.

Mais noticias

Slider