NEWSLETTER

Inscreva-se em nossa newsletter.

Donos de prédio que desabou no DF são denunciados três anos depois

O prédio de seis andares e um subsolou caiu em outubro de 2017 e provocou a morte de um técnico em edificações
Edifício queda Vicente Pires
Detalhe do prédio que caiu em outubro de 2017 e que provocou a morte de uma pessoa/Arquivo

Foram denunciados hoje (22) os dois proprietários e uma engenheira pelo desabamento de um edifício na Colônia Agrícola Samambaia, em Vicente Pires. O prédio de seis pavimentos e um subsolo caiu no dia 20 de outubro de 2017. No mesmo local, acabou sendo construído um outro edifício em 2019, que à época também não possuía autorização para a edificação.

O desabamento da construção que não tinha alvará, provocou a morte do técnico em edificações Agmar Silva, que trabalhava no local. O Ministério Público do Distrito Federal pediu a condenação de Lucas Antônio Marques Júnior e Cristiano Alencar de Souza, além da engenheira civil Daliane Cardoso Mendonça à reparação de danos morais e materiais.

Ela teria se omitido na fiscalização e na execução da obra, conforme relatório do Conselho Regional de Engenharia e Arquitetura. De acordo com a perícia, “a causa do colapso da estrutura foi o erro no cálculo das cargas atuantes nos pilares de sustentação”, informou o MP.

Lucas foi o primeiro proprietário do prédio, responsável pelos trâmites legais para a construção, pela contratação da engenheira e da vítima e pelo fornecimento de materiais para a obra. Embora tenha cedido os direitos sobre o imóvel, o primeiro módulo já estava construído. Por isso, ele foi responsável pela solidez das edificações já concluídas. Cristiano sucedeu Lucas na propriedade do imóvel. Ele recebeu intimações de infração, de embargo e de demolição da obra pela Agência de Fiscalização do DF (antiga Agefis), mas ignorou as notificações.

Mais noticias

Slider