NEWSLETTER

Inscreva-se em nossa newsletter.

Senador com dinheiro nas nádegas é dispensado da vice-liderança

Senador Chico Rodrigues, do Democratas de Roraima, está envolvido numa investigação por desvios de dinheiro público
Senador Chico Rodrigues
Senador Chico Rodrigues pediu licença do mandato de por três meses/Arquivo/Agência Senado

O presidente Jair Bolsonaro pediu hoje (15) que o afastamento do senador Chico Rodrigues (DEM-RR) da função de vice-líder do governo no Senado.A mensagem aos membros da Casa foi publicada em edição extra do Diário Oficial da União. De acordo com o texto, a dispensa foi a pedido do próprio senador.

Ontem (14), a Polícia Federal (PF) e a Controladoria-Geral da União (CGU) deflagraram a Operação Desvid-19, para investigar desvios de aproximadamente R$ 20 milhões em recursos públicos provenientes de emendas parlamentares, que seriam destinados à Secretaria de Saúde de Roraima para o combate à pandemia de Covid-19. Rodrigues foi um dos alvos da ação e, durante as buscas e apreensões em Boa Vista, os agentes encontraram dinheiro vivo em posse do senador. E, segundo as informações, o político tinha escondido o dinheiro em espécie nas nádegas.

Nesta quinta-feira, em vídeo publicado nas redes sociais, o presidente Bolsonaro disse que a ação da PF e da CGU é “um exemplo típico” de que não há corrupção em seu governo e que os órgão públicos continuam combatendo a corrupção, “seja de quem for”, registrou a Agência Brasil.

“Vocês estão quase há dois anos sem ouvir falar em corrupção no meu governo. O meu governo são os ministros e estatais e bancos oficiais. Esse é o meu governo. Alguns acham que toda a corrupção tem a ver com o governo. Não. Nós destinamos dezenas de bilhões para estados e municípios, tem as emendas parlamentares, e, de vez em quando, não é muito raro, a pessoas faz uma malversação desses recursos”, disse Bolsonaro. “A CGU está de olho, a PF está de olho, e tomando decisões. Lamento os desvios de recursos, seria bom que não houvesse, afinal de contas, quando se desviam recursos da saúde, inocentes morrem”, completou o presidente.

Mais noticias

Slider