NEWSLETTER

Inscreva-se em nossa newsletter.

Ministro determina afastamento do senador do dinheiro nas nádegas

Determinação é por um prazo de 90 dias, mas o despacho do STF terá que ser referendado pelo Senado Federal
Ministro Luís Barroso
Barroso já tinha determinado a busca e apreensão na casa do senador Chico Rodrigues/Arquivo

O plenário do Senado Federal vai decidir sobre o afastamento do senador Chico Rodrigues (DEM-RR), determinado nesta tarde pelo ministro Luís Roberto Barroso. O mesmo ministro do Supremo Tribunal Federal tinha determinado a busca e apreensão na casa do parlamentar, que foi flagrado com R$ 30 mil na cueca, parte dos quais nas nádegas. Atualizado às 16h41

A determinação de afastamento é de 90 dias por conta da “gravidade concreta” do caso, que exige o afastamento para evitar que o parlamentar use o cargo para dificultar as investigações, segundo informou a Veja.

O senador Chico Rodrigues é acusado de desviar recursos de emendas parlamentares para beneficiar empresas contratadas pelo governo de Roraima para combater a pandemia de Covid-19.

Em novembro 2015, caso muito parecido com o despacho do Supremo Tribunal Federal envolveu o ex-senador Delcídio do Amaral (PT-MS). Dois anos depois, o senador Telmário Mota (PTB-RR) disse considerar “erradas, ilegais e sem respaldo na Constituição” tanto a decisão do Supremo Tribunal Federal que determinou a prisão do ex-senador, determinada pelo falecido ministro do Supremo Tribunal Federal, Teori Zavascki.

O Supremo também interferiu no mandato do então senador Aécio Neves (PSDB-MG), em 2017. As medidas cautelares aplicadas foram determinadas pelo ministro do STF Alexandre de Moraes, que concedeu liminar em atendimento a um mandado de segurança impetrado pelo senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP) pelo afastamento do mandato.

Mais noticias

Slider