Bolsonaro e ministros

Centrão ganha mais espaço com a troca de vices-líderes

O governo alterou nesta quarta-feira sua bancada de vice-líderes na Câmara dos Deputados, conferindo a cada partido a indicação de um nome e abrindo mais espaço ao Centrão, parte de sua nova estratégia de articulação política.

O líder do governo na Câmara, Ricardo Barros (PP-PR), apresentou, em café da manhã nesta quarta-feira, os nomes de novos vice-líderes, segundo nota da liderança do governo na Casa. Líder do PSL, partido que até então tinha cinco vice-líderes, o deputado Felipe Francischini (PR) também participou da conversa, segundo a Reuters.

Os indicados para a vice-liderança do governo, que já constam na página da Câmara dos Deputados, são Luiz Lima (PSL-RJ), Giovani Cherini (PL-RS), Lucio Mosquini (MDB-RO), Capitão Alberto Neto (Republicanos-AM), Paulo Azi (DEM-BA), Joaquim Passarinho (PSD-PA), Gustinho Ribeiro (Solidariedade-SE), Carla Dickson (PROS-RN), Greyce Elias (Avante-MG) e Marreca Filho (Patriota-MA).

Outros três nomes foram reconduzidos, os de Evair Vieira de Melo (PP-ES), José Medeiros (PODE-MT) e Alusio Mendes (PSC-MA). Bolsonaro já vinha se aproximando do grupo político chamado de centrão, e chegou a criar um ministério — o das Comunicações — para acomodar a nova base. Na esteira desse movimento, trocou, em agosto, a liderança do governo na Casa. No lugar de Vitor Hugo (PSL-GO), entrou Barros, do PP, partido que integra o centrão.