NEWSLETTER

Inscreva-se em nossa newsletter.

Quatro fazendas teriam iniciado o incêndio no Pantanal

Suspeitas estão sendo investigadas pela Polícia Federal, mas presidente Bolsonaro volta a pôr a culpa nos caboclos
queimada fogo floresta
Incêndios e desmatamento ameaçam o Pantanal e também a floresta amazônica e o Cerrado/Arquivo

A Polícia Federal de Mato Grosso do Sul investiga se os incêndios que devastaram mais de 25 mil hectares começaram em quatro fazendas de grande porte em Corumbá, na região do Pantanal. A suspeita é de que produtores rurais tenham colocado fogo na vegetação para transformação em área de pastagem.

Em entrevista à CNN Brasil, Daniel Rocha, delegado da Polícia Federal que acompanha as investigações, fez um balanço da operação e avalia que o fogo foi provocado por ação humana, mas que a corporação segue em busca das razões que levaram ao incêndio. “As investigações demonstram, tanto pela época do ano, que não tem como essas queimadas terem sido de provocadas de forma natural, porque nós não temos descarga elétrica neste período. Não tivemos chuva nesse período. Portanto, a causa é humana, mas nós estamos investigando se foi em razão de ordem de fazendeiros ou não”, disse Rocha.

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) reafirmou que índios e caboclos são os responsáveis pelas queimadas nas regiões do Pantanal e da Amazônia, durante transmissão nas redes sociais nesta quinta-feira (24). De acordo com o chefe do Estado, o Brasil é alvo de “um ataque criminoso” e “desinformação” como parte de um “jogo econômico”, lembra o SBTNews.

“Além do impacto, tem uma cultura regional, o índio que toca fogo no roçado, o caboclo também, o pequeno produtor que toca fogo no roçado. Alguns acham que eu devo mudar a cultura, gostaria que pudesse mudar muitas culturas de uma hora para outra, mas quem fala isso não tem noção do que está falando aqui. Poderia falar de mudar certas culturas para área urbana de São Paulo, que tem certas culturas, que virou cultura, que são prejudiciais ao meio ambiente. O Brasil é o país que mais preserva. Agora, por que esse ataque criminoso? Essa desinformação absurda em cima do Brasil? É o jogo econômico”, disse.

Mais noticias

Slider