NEWSLETTER

Inscreva-se em nossa newsletter.

Homem mais rico da China foi servente de pedreiro e jornalista

Zhong Shanshan ultrapassou em riqueza o dono do Alibaba, Jac Ma, que está entre as 20 personalidades mais rica do mundo
Chinês Zhong Shanshan
Zhong Shanshan passou a ser a personalidade mais rica da China e a décima-sétima no mundo/Arquivo/Divulgação/FT

O empresário do setor da água engarrafada Zhong Shanshan destronou o dono da Alibaba, Jack Ma, da posição de chinês mais rico no Bloomberg Billionaire Index. Com nova atualização feita ontem (24), Jack Ma desceu à 19.ª posição de personalidade mais rica do mundo (e segunda da China) e Zong Shanshan ultrapassou-o (17.º lugar) — com uma fortuna estimada nos US$ 58,7 bilhões, equivalente a R$ 320 bilhões.

Zhong Shanshan tem 65 anos e, de acordo com o South China Morning Post, é conhecido como “lobo solitário” no meio da alta roda empresarial chinesa. A alcunha deve-se à postura discreta e, acima de tudo, de isolamento adotada por este empresário, que não frequenta grupos empresariais e do qual não se conhecem ligações ao Partido Comunista Chinês — ao contrário de vários dos seus pares, como é o caso de Jack Ma.

A sua vida familiar foi marcada precisamente pela Revolução Cultural, o violento período na História da China em que, no poder, Mao Tsé-Tung procurou aplicar à sua força o regime comunista chinês após a revolução de 1949.

Zhong Shanshan nasceu em 1954 em Hangzhou, cidade no Este da China. Ali, a sua família foi vítima das purgas maoistas e Zhong Shanshan foi obrigado a sair da escola primária. Os seus primeiros trabalhos foram como servente de pedreiro e ajudante numa carpintaria.

Porém, já depois da morte de Mao Tsé-Tung, e com a subida ao poder do reformista Deng Xiaoping, muitas das famílias que foram vítimas de purgas foram reabilitadas. Foi assim com a de Zhong Shanshan, que a partir daí pôde fazer os exames nacionais de acesso à universidade pública.

De acordo com a Inkstone, revista do South China Morning Post, Zhong Shanshan conseguiu entrar para a Universidade de Rádio e Televisão de Zhejiang. Quando acabou o curso, arranjou emprego na secção de economia de jornal Diário de Zhejiang. Até que, cinco anos depois, deixou o jornalismo e tomou a decisão de ser ele próprio empresário, como aqueles que entrevistava.

A entrada no mundo de negócios não foi um sucesso imediato. Abriu um jornal e uma empresa de cogumelos, ambas falhanços. Depois, desenvolveu e vendeu uma empresa que vendia um suplemento feito com partes de tartaruga — negócio que lhe rendeu o primeiro milhão.

A água engarrafada surgiu em 1996, também em Zhejiang. Foi nesse ano que fundou a Nongfu Spring, nome anglófono da marca que, em português, significado algo como “Água dos Agricultores”.

Desde que apareceu, a Nongfu Spring ganhou destaque pelos seus anúncios. O slogan adotado desde o início da empresa é ainda hoje utilizado pela marca: “É um pouco doce”.

Desde 2000 que a marca expandiu para lá da água dita normal, vendendo desde então águas com sabor e também refrigerantes, além de café — através de outro ramo da empresa.

A vantagem de Zhong Shanshan sobre Jack Ma aconteceu na recente estreia da Nongfu Spring na Bolsa de Hong Kong, no início de setembro. No dia de estreia, o preço inicial de 21,50 dólares de Hong Kong (2,38 euros) disparou de forma quase imediata para 39,80 dólares de Hong Kong (4,40 euros). Esta quinta-feira, abriu com 38,85 dólares de Hong Kong (4,29 euros).

Zhong Shanshan é também o acionista maioritário (75%) da farmacêutica Wantai, com sede em Pequim, que produz testes para a Covid-19. A Wantai entrou na bolsa de Xangai em abril e, desde então, os 75% de Zhong Shanshan valorizaram até aos 9,4 milhões de dólares (8,05 milhões de euros). (Do Observador)

Mais noticias

Slider