NEWSLETTER

Inscreva-se em nossa newsletter.

Servidores da assistência social no DF param por 48 horas

A categoria reclama que faltam profissionais, do reajuste salarial e também da reforma administrativa
Protesto aprovados DF
Ato público dos servidores de assistência social na frente do Palácio do Buriti em agosto/Arquivo/Divulgação/Sindsasc

Amanhã (16) e quinta-feira os servidores da assistência social que trabalham no Governo do Distrito Federal fazem uma paralisação. Nesta quarta-feira pela manhã está marcada uma assembleia geral na frente da Secretaria de Desenvolvimento Social. A categoria já realiza manifestações desde agosto.

O Sindicato dos Servidores da Assistência Social e Cultural do GDF (Sindsasc) informou que o protesto é uma reação à retirada de direitos dos servidores, tanto pelo GDF como pelo governo federal. A categoria reclama que há atraso no pagamento da terceira parcela do reajuste salarial, concedido em 2013, que não teve sua terceira parcela paga como deveria, em 2015.

“O GDF e o Executivo federal estão se aproveitando da crise causada pela pandemia para atacar direitos dos servidores. Bolsonaro nos ataca com a reforma administrativa, que nos retira rendimentos salariais. Ibaneis aumenta o valor da contribuição previdenciária, que causa um desfalque nos salários”, explica o presidente da entidade, Clayton Avelar. Ele disse também que o setor atua com apenas 10% da quantidade de trabalhadores necessária para o pleno atendimento aos assistidos do DF.

Mais noticias

Slider