NEWSLETTER

Inscreva-se em nossa newsletter.

Cúpula da Saúde que está presa é finalmente exonerada

O grupo que está preso teria manipulado duas licitações para compra de testes rápidos no valor de R$ 18 milhões
Francisco Araújo
Francisco Araújo Filho, secretário da Saúde do Distrito Federal que continua preso/Arquivo/Agência Brasília

Sete pessoas investigadas no âmbito da Operação Falso Positivo foram exoneradas hoje (14) pelo governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha (MDB). A exoneração ocorre 20 dias após a prisão da cúpula da Secretaria da Saúde, entre eles, o ex-secretário Francisco Araújo. O grupo estava apenas afastado das funções até a publicação das portarias no Diário Oficial do DF.

No final da semana passada, seis parlamentares da bancada federal do DF mandaram uma carta ao governador. Pediram explicações sobre a operação e cobraram a exoneração dos envolvidos que continuam presos, com exceção do subsecretário de Vigilância à Saúde, que obteve um habeas corpus para ficar em casa enquanto as investigações prosseguem.

O grupo teria manipulado duas licitações para compra de testes rápidos no valor de R$ 18 milhões. O Ministério Público do DF entrou com um pedido na justiça para que os investigados devolvam R$ 46 milhões a título de perdas e danos.

Os exonerados – secretário Francisco Araújo, Eduardo Hage Carmo, subsecretário de Vigilância à Saúde, Ramon Santana Lopes Azevedo, assessor especial da Secretaria de Saúde, Eduardo Seara Machado Pojo do Rego, secretário adjunto de Gestão em Saúde, Emmanuel de Oliveira Carneiro, diretor de Aquisições Especiais da Secretaria de Saúde, Iohan Andrade Struck, subsecretário afastado de Administração Geral da Secretaria e Erika Mesquita Teixeira, gerente de Aquisições Especiais da Secretaria de Saúde.

Mais noticias

Slider