NEWSLETTER

Inscreva-se em nossa newsletter.

Ibaneis é alvo de manifestação contra a reabertura do comércio

Governador do DF também foi indiciado pela Polícia Federal por supostos de campanha não contabilizados
Governador Ibaneis Rocha
Manifestantes protestaram contra Ibaneis nesta manhã e há um manifesto na internet/Arquivo

Na manhã desta sexta-feira (3), manifestantes se reuniram em frente ao Palácio do Buriti para protestar contra a reabertura dos comércios e escolas no Distrito Federal. O ato intitulado “Todas as Vidas Importam” reuniu faixas, cruzes e manifestantes vestidos de preto em homenagem às vítimas de coronavírus na capital federal.

Profissionais de saúde podem ser despejados de hotel no DF – #COMPARTILHE o Misto Brasília

O deputado distrital Leandro Grass (Rede) afirmou que “esse decreto do governador é quase uma sentença de morte para a nossa população”. O parlamentar é um dos apoiadores do manifesto que está disponível na internet. Para a deputada petista Arlete Sampaio, “Ibaneis coloca tudo a perder no combate à pandemia do novo coronavírus. Além da falta de leitos de UTI, o mais grave ainda é a falta de insumos. Como entubar uma pessoa sem sedativo?”

A manifestação iniciou às 8 horas e tinham cerca de 100 pessoas no local para denunciar as atitudes do governo. Segundo os participantes, esta reabertura total antes do fim da Covid-19 irá custar um alto preço para a sociedade, pois a previsão para o pico da pandemia é agora em julho. O manifesto na rede social possui mais de 12 mil assinaturas até o início da manhã desta sexta-feira.

Enquanto isso, a Polícia Federal indiciou o governador do Distrito por omitir gastos durante a campanha eleitoral realizada em 2018. A suspeita é que Ibanes lançou duas candidatas “laranjas”, as supostas candidatas declararam R$ 1,08 milhão em gastos. Se a denúncia for comprovada, o governador pode responder por crime eleitoral.

No ano passado,as candidatas que constam no relatório da PF Dolores Moreira Costa Ferreira, declarou que recebeu R$ 502 mil do partido do governador, mas só obteve 551 sufrágios. A outra é Kadija de Almeida Guimarães, afirmou ter gasto R$ 573 mil — sendo R$ 423 mil do diretório regional do MDB, além de R$ 150 mil do comando nacional da sigla. Ela, no entanto, só recebeu 403 votos.

A defesa de Ibaneis disse ao portal do G1 que “não houve omissão na prestação de contas, fato que ficará comprovado quando houver oportunidade para apresentação de defesa” e que “teve suas contas aprovadas pela Justiça Eleitoral”. Segundo o Tribunal Regional Eleitoral (TRE-DF), as contas foram aprovadas pelo TRE-DF ainda em 2018.

Mais noticias

Slider