Logo Misto Brasília

NEWSLETTER

Inscreva-se em nossa newsletter.

NOTÍCIAS

Desemprego será um tema importante na agenda do segundo semestre

Se antes da pandemia a recuperação da economia caminhava a passos muito lentos, o cenário para o semestre é mais incerto
Fila do desemprego
Dezenas de trabalhadores fazem fila para emprego numa rede de supermercados/Arquivo/Roberto Suguino/Agência Senado

Eletricidade e gás. Essa foi a única atividade econômica que registrou saldo positivo de vagas no mercado formal de trabalho de março de abril. Precisamente 197 vagas em março e 24 em abri. No mesmo período, a crise provocada pela pandemia do novo coronavírus contribui para o fechamento 1.101.205 vagas com registro em carteira, conforme os dados do Ministério da Economia. Em maio, a expectativa é  que os números continuem negativos, ampliando o total de desempregados.

Os números mostram, como esperado, que o setor de serviços foi o mais afetado, com 43% das vagas fechadas, somando 474.145. Desse total, 44,6% estavam no segmento de alojamento e alimentação, onde 211.722 trabalhadores perderam o emprego entre o começo de março, quando foi confirmado o primeiro caso de Covid-19 no Brasil, e o final de abril. Outras 166.807 demissões foram no segmento de informação, comunicação e atividades financeiras, imobiliárias, profissionais e administrativas.

Na indústria, setor que tradicionalmente paga salários melhores, as demissões em março e abril somaram 228.054, com destaque para a indústria de transformação,  que fechou 224.417 vagas com registro em carteira  _equivalente a 98,4% do  total de postos fechados. Atividade contabilizada em separado, o setor de construção perdeu 82.517 vagas nos dois meses.

Na soma de março e abril, o segmento de administração pública, defesa e seguridade social, educação, saúde humana e serviços sociais teve um saldo positivo de duas vagas, resultado das 23.505 vagas geradas em março contra 23.503 fechadas em abril. No acumulado do ano, janeiro a abril, o maior número de vagas fechadas foi na região Sudeste: 448.603, dos quais 227.670 em São Paulo. Com 190.081 postos de trabalhos fechado no quadrimestre, o Nordeste vem em segundo lugar _Pernambuco, com 53 mil demitidos, foi o Estado mais afetado na região.

Se antes da pandemia a recuperação da economia já caminhava a passos muito lentos, o cenário para o semestre que se inicia em julho é ainda mais incerto. Mesmo contra a vontade do Ministério da Economia, o auxílio emergencial pago aos trabalhadores informais será prorrogado. Falta definir o valor e o formato. E combinar com o Congresso Nacional, onde já foram apresentados projetos prorrogando o benefício de R$ 600,00 até o fim do estado de emergência. Também é esperado para julho uma proposta do governo para tentar criar um imposto parecido com a extinta CPMF.

Num contexto de maior polarização política, estimulada principalmente pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido), e com a recuperação da economia num ritmo ainda incerto, embora prevista para começar no terceiro trimestre, esse crise deverá ter um peso importante nas eleições municipais. A esse contexto deve ser adicionada a investigação sobre fake news conduzida pelo Supremo Tribunal Federal (STF) e as investigações das denúncias de interferência na Polícia Federal, feita pelo ex-ministro Sérgio Moro quando anunciou seu pedido de demissão.

Mais noticias

Slider