NEWSLETTER

Inscreva-se em nossa newsletter.

NOTÍCIAS

Governadores apoiam congelamento dos salários dos servidores

A maioria disse que concorda com o presidente Bolsonaro ao veto do artigo no projeto da proposta de ajuda aos estados, municípios e DF
Jair Bolsonaro
Bolsonaro festejou a operação contra o seu adversário político no Rio/Arquivo

Em reunião com o presidente Jair Bolsonaro, a maioria dos 27 governadores pediram o veto à possibilidade de reajuste salarial a categorias de servidores públicos, corroborando a intenção do governo federal de não manter a autorização aprovada pelo Congresso, enquanto o presidente anunciou que pretende sancionar a ajuda a Estados e municípios o mais breve possível.

O Misto Brasília transmitiu a reunião virtual – você ainda pode conferir na homepage do site

A proposta que dá um aporte de 60 bilhões de reais para Estados e municípios fazerem frente à crise provocada pela pandemia de Covid-19 foi aprovada no início de maio pelo Legislativo com permissão para reajustes de algumas categorias, com apoio do presidente. No entanto, com a resistência da equipe econômica liderada pelo ministro da Economia, Paulo Guedes, Bolsonaro voltou atrás. veja o que diz o governador do Piaui, Wellington Dias, que resume o que foi dito na reunião virtual com Bolsonaro.

Ao contrário da reunião anterior, que terminou em bate-boca entre Bolsonaro e João Doria (PSDB), governador de São Paulo, o encontro desta quinta, também em videoconferência, teve tom mais amistoso e respeitoso, em que os governadores e os presidentes da Câmara e do Senado fizeram questão de ressaltar a necessidade de uma atuação conjunta de todos. As medidas de isolamento social para conter a propagação do coronavírus adotadas por gestores locais, criticadas por Bolsonaro e motivo de atrito frequente entre ele e os governadores, não foram discutidas na reunião desta quinta.

Os governadores pediram ainda que a primeira parcela do pagamento seja feita até o dia 31 de maio, o que nem o presidente nem o ministro da Economia, Paulo Guedes – que estava presente – garantiram que aconteceria.

Mais noticias

Slider