Falta gás de cozinha no DF e em sete estados

Gás de cozinha falta no DF
Consumidora tenta comprar gás de cozinha num posto revendedor no DF/Reprodução vídeo

O dia amanheceu no Distrito Federal com filas em vários postos revendedores de gás de cozinha. A falta do produto vem se agravando desde a semana passada. A situação cria o ambiente ideal para que especuladores aumentem os preços abusivamente. Os atravessadores chegam a cobrar até R$ 120 o botijão de 13 quilos.

Há pouco, uma internauta informou ao Misto Brasília que em Santa Maria (DF) não tem gás em lugar nenhum ”e acabei de comprar pagando um preço muito maior do acostumado”. As denúncias de preços acima do normal devem ser encaminhadas ao Procon (151). A sugestão é que esses locais sejam fotografados. Quando o botijão é encontrado, alguns consumidores levam de dois a três unidades, o que prejudica os demais clientes.

Pobre é isento de pagar energia elétrica até junho – #COMPARTILHE o Misto Brasília

O problema não ocorre apenas no DF, mas a escassez também é registrada em sete Estados, diante de uma maior demanda em meio à pandemia do coronavírus, disse à Reuters o presidente da associação brasileira dos revendedores do produto, Alexandre Borjaili. Ele comentou ainda que há indicações de que o governo e a Petrobras, responsável pelo abastecimento de GLP no Brasil, não estavam preparados para o aumento da demanda do produto.

O abastecimento do chamado Gás Liquefeito de Petróleo (GLP) está comprometido na Bahia, Espírito Santo, Goiás, Minas Gerais, Rio Grande do Sul, São Paulo, Rio de Janeiro e Distrito Federal, segundo levantamento da Associação Brasileira dos Revendedores de GLP (Asmirg-BR) junto às associadas.

“Não há uma transparência sobre o que a Petrobras está produzindo hoje e o que ela está importando”, afirmou Borjaili, cuja associação representa mais de 20 mil revendedores de todo país, apontando também uma falta de transparência do governo para lidar com a situação.

Retrato da crise – moradores da Estrutural fazem fila para pedir a cesta básica – #COMPARTILHE

Na segunda-feira, no entanto, o ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, chegou a afirmar em uma videoconferência transmitida na internet que havia oferta suficiente de GLP no Brasil e que ainda via espaço para uma queda adicional nos preços do insumo, reiterou Borjaili.

Após negar no início desta semana a falta do insumo, o governo publicou uma nota nesta quarta-feira reconhecendo que há impactos no abastecimento de GLP, por um aumento de 23% da demanda em todo o país, “devido ao isolamento social para evitar o coronavírus, com as famílias ficando mais tempo em casa e adotando novos hábitos”.

O Ministério de Minas e Energia informou também que a Petrobras antecipou algumas ações para abril, importando volume equivalente a 27,4 milhões de botijões de gás de cozinha de 13 kg e ampliou sua atual infraestrutura de abastecimento.

Informativo Misto Brasil

Inscreva-se para receber conteúdo exclusivo gratuito no seu e-mail, todas as semanas

Assuntos Relacionados


Informativo Misto Brasil

Inscreva-se para receber conteúdo exclusivo gratuito no seu e-mail, todas as semanas