NEWSLETTER

Inscreva-se em nossa newsletter.

Onyx chega hoje para decidir futuro na Casa Civil

Onyx foi um dos primeiros aliados de Bolsonaro no início da sua caminhada à Presidência
ministro Onyx Lorenzoni Casa Civil
Onyx Lorenzoni assume na terça-feira o Ministério da Cidadania, no lugar de Osmar Terra/Arquivo

Depois de ver seu ministério esvaziado e no centro de uma série de confusões, o ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, decidiu encurtar suas férias e chega a Brasília na sexta-feira para reassumir o cargo e tentar contornar a crise na pasta. Onyx pode permanecer no cargo, mas há comentários de que ele saia do ministério e seja aproveitado em outra função, até mesmo como ministro da Educação.

Onyx foi um dos primeiros aliados de Bolsonaro no início da sua caminhada à Presidência da República. Chegou até mesmo a brigar com o Democratas, que o deixou isolado da bancada federal por meses. Hoje, o partido do presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (RJ) ocupa três dos 22 ministérios. (Casa Civil, Agricultura e Saúde).

No início da tarde, uma edição extra do Diário Oficial foi publicada com parte do que prometera o presidente Jair Bolsonaro em seu Twitter logo cedo pela manhã: foi tornada sem efeito a nomeação de Vicente Santini para um novo cargo na Casa Civil e Fernando Moura, que havia sido nomeado secretário-executivo interino da pasta no dia anterior, foi exonerado do cargo e volta a ser apenas secretário adjunto.

Bolsonaro havia anunciado a demissão de Santini pessoalmente na terça-feira, ao chegar da Índia, alegando ser “imoral” e “inadmissível” o fato do então secretário-executivo, que estava como ministro interino, usar um voo da Força Aérea Brasileira para ir de Davos a Índia e depois voltar ao Brasil.

Mais noticias

Slider