NEWSLETTER

Inscreva-se em nossa newsletter.

ONU: crise climática está chegando a um “ponto sem retorno”

Secretário-geral, António Guterres, disse que a guerra contra a natureza tem que ter um fim
clima efeito estufa
Recordes de gases na atmosfera aumentam a temperatura na Terra/Arquivo/ONU News

O secretário-geral da Organização das Nações Unidas (ONU), António Guterres, afirmou em entrevista coletiva em Madri que o combate à crise climática está chegando a um “ponto sem retorno”. Na véspera da abertura oficial da 25ª edição da Cúpula do Clima (COP25), que começa nesta segunda-feira (02) na capital espanhola, Guterres explicou que sua mensagem não é de desespero, mas de esperança, embora seja necessário que as pessoas parem de agredir a natureza.

“Somos confrontados com uma crise climática global, e o ponto sem volta não está mais no horizonte, está à vista e se aproximando de nós”, disse Guterres. “Nossa guerra contra a natureza tem que ter um fim, e sabemos que isso é possível”, informou a DW.

O chefe da ONU destacou que “as mudanças climáticas estão acontecendo mais rápido que o previsto”, motivo pelo qual são necessários compromissos mais ambiciosos, como aumentar o preço do carbono e acabar com usinas de combustíveis fósseis.

“Simplesmente precisamos parar de cavar e perfurar, e tirar vantagem das vastas possibilidades oferecidas pela energia renovável e das soluções baseadas na natureza”, propôs. “Também estamos vendo claramente que os maiores emissores do mundo não estão se esforçando”, avisou. “Sem eles, nosso objetivo é inacessível”, frisou Guterres.

O secretário-geral da ONU afirmou ser preciso “aumentar a ambição e a responsabilidade”, ao dizer que os países devem “apresentar seus compromissos” no evento. O maior emissor de carbono do mundo é a China, seguida dos Estados Unidos.

Mais noticias

Slider