NEWSLETTER

Inscreva-se em nossa newsletter.

PSD decide apoiar “voto aberto” no Senado

Bancada fez uma reunião nesta terça, mas não definiu um nome de apoio à presidência da Casa

O PSD passou a ter a segunda maior bancada no Senado Federal com dez senadores. Só perde para o MDB, que terá 13 parlamentares na legislatura que começa na próxima sexta-feira (1º). Na reunião realizada hoje, a bancada do partido decidiu apoiar o voto aberto nas eleições para a Mesa Diretora, embora o regimente interno prevê a votação secreta. Recentemente, o ministro Dias Toffoli se manifestou favorável ao voto secreto.

Em nota divulgada após o encontro, o PSD afirma que a população deve ter acesso às decisões de cada filiado. (Veja a nota abaixo). Sobre o candidato preferencial à presidência, o líder da bancada, senador Omar Aziz (AM) não se manifestou. O partido integra a base do governo de Jair Bolsonaro.

A reunião coordenada pelo presidente nacional do PSD, ex-ministro Gilberto Kassab, e pelo líder da bancada, teve a participação de oito senadores. Só não participaram das discussões os senadores eleitos e que se filiaram nesta semana ao PSD, Nelsinho Trad (MS) e Lucas Barreto (AP). Os dois foram apenas apresentados ao grupo.

Os dois se elegeram pelo PTB em outubro passado. Já tinha se filiado há alguns dias ao partido o senador Carlos Viana (MG), que foi eleito pelo PHS. Atualmente, a bancada tem cinco senadores.

Nota do PSD

Em reunião nesta quarta feira (29/01/2019) com a presença de todos os oito senadores, o Partido Social Democrático decidiu por apoiar o “Voto Aberto” para a escolha do novo presidente do Senado que comandará a casa legislativa nos próximos dois anos.

“Nosso desejo é de que a população tenha acesso às decisões de cada um dos nossos filiados garantindo a transparência exigida pelos brasileiros” afirma o senador Omar Aziz, líder da bancada. O PSD deseja colaborar para a construção de uma nova política em nosso país onde o desejo dos eleitores seja sempre respeitado.

Mais noticias

Slider