Os trilionários ficaram ainda mais trilionários

As 500 pessoas mais ricas do mundo viram a sua fortuna aumentar em um trilhão de dólares durante este ano, devido a um grande aumento do valor dos mercados de ações globais, que irá provavelmente atingir níveis recorde no fim de 2017, noticia o The Guardian. O MSCI World Index e o US Standard & Poor’s 500 subiram ambos quase 20% este ano.

Um relatório do Credit Suisse revelou que 1% das pessoas mais ricas do mundo viram a sua parte da fortuna total do mundo crescer de 42,5%, no auge da crise financeira de 2008, para 50,1% em 2017. O banco referiu também que a “desigualdade da riqueza global tem certamente sido alta e tem crescido na pós-crise”.

O aumento das fortunas dos superricos acontece numa altura em que milhões de pessoas mais pobres em todo o mundo viram as suas condições estagnar ou piorar. O fosso entre os muito ricos e todas as outras pessoas expandiu-se no último século.

Segundo o índice de bilionários da Bloomberg, as 500 pessoas mais ricas do mundo viram o valor da sua fortuna aumentar em 23% neste ano, o que corresponde a um aumento de US$ 5,3 trilhões.

Jeff Bezos, fundador da Amazon, é o homem mais rico do mundo. A sua fortuna aumentou US$ 34,2 mil milhões neste ano, até à data, elevando assim o seu “património líquido” para US$ 99,6 milhões, indica o mesmo jornal britânico. Em conjunto, as cinco pessoas mais ricas do mundo – Bezos (Amazon), Bill Gates (Microsoft), Warren Buffett (Berkshire Hathaway), Amancio Ortega (Zara) e Mark Zuckerberg (Facebook) – detêm US$ 425 mil milhões.