Lava Jato muda quadro político no Distrito Federal

As delações na operação Lava Jato atingiu todos os grandes partidos políticos do Distrito Federal – PMDB, PT, Dem e PSDB. As denúncias de pagamento e propina tem reflexos nas eleições do próximo ano, O pré-candidato peemedebista, Tadeu Filippelli, por exemplo foi denunciado por receber R$ 15 milhões no caixa 2.

O ex-executivo da Odebrecht, José Antônio Pacífico, disse que o dinheiro foi pago para a liberação do Centro Administrativo do Distrito Federal. Filippelli nega: “Mas o próprio delator afirma expressamente que em nenhum momento tratou comigo sobre propina. E não tratou mesmo”, garantiu o ex-governador.

Ex-dirigentes da empreiteira citam repasses de propina para campanhas dos ex-governadores José Roberto Arruda (PR, era do Dem) e Agnelo Queiroz (PT); do ex-vice-governador Tadeu Filippelli (PMDB), do ex-deputado federal Geraldo Magela (PT); e do ex-senador Gim Argello (ex-Dem) – o único que está preso e já condenado a 19 anos de cadeia. O deputado distrital Robério Negreiros (PSDB) também está nesta lista. Rodrigo Rollemberg (PSB) não foi citado.

Informativo Misto Brasil

Inscreva-se para receber conteúdo exclusivo gratuito no seu e-mail, todas as semanas

Assuntos Relacionados


Informativo Misto Brasil

Inscreva-se para receber conteúdo exclusivo gratuito no seu e-mail, todas as semanas